27 C°

segunda-feira, 23 de outubro de 2017.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Greves e sociedade

sexta-feira, 21 de abril 2017

Imprimir texto A- A+

Terminou mais uma greve de professores da rede municipal e o resultado prático foi o nada , foi o invisível e a certeza de que professores são sim produtos de terceira categoria em um país de ignorantes. Os saldos da greve provam que nossa sociedade não está nem aí para a situação dos professores em escolas inóspitas, sem condições de trabalho , sem perspectiva de crescimento e apesar dos números continuar a formar pessoas analfabetas funcionais e que engrossarão as filas de desempregados em função de uma má formação.
Alguém viu algum pronunciamento de um parlamentar sobre a situação das escolas públicas municipais que tem professores dando aulas sem alento, sem perspectivas de crescimento e totalmente às tontas sem formação para enfrentar o avanço tecnológico numa escola do início do século? Os espaços no jornais televisivos e escritos são ínfimos para discutir a educação , atividades desenvolvidas e desalentos que ocorrem sim , mas que não são objetos de investigação das universidades que só pensam na escola pública em suas teses deslocadas do conhecimento da realidade.
Os políticos não querem educação de verdade, nenhum deles e o digo com propriedade, pois os radicais de esquerda que dizem lutar pelos direitos humanos e pela sociedade sequer conhecem ações educativas que certamente contribuem para mudar uma condição de vida precária que nosso jovens e adolescentes tem nos dias de hoje. Essa reflexão não é lamúria , não é lamento, é constatação, pois professores mal pagos e humilhados certamente não renderão nada numa situação de penúria que pode também ser provocada pela falta de vocação que também é um fator terrível. Para terminar uma historinha: Certo dia entrei em contato com um deputado ultraesquerdista pedindo apoio a um cursinho comunitário que com várias dificultades tem feito a diferença na periferia da cidade colocando jovens que amargariam a conclusão de um ensino médio sem perspectiva e que hoje podem ousar em sua formação e sabe qual foi a resposta do deputado que se diz defensor dos direitos humanos? Não respondeu…simples assim…A conclusão ? Ninguém quer nada com educação… E assim vamos ao caos…

Francisco Djacyr Silva de Souza
Professor

 

outros destaques >>

Facebook

Twitter