domingo, 18 de novembro de 2018.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Homenagem da Câmara a Fernando Maia

MAURO BENEVIDES JORNALISTA E DEPUTADO FEDERAL

quinta-feira, 30 de agosto 2018

Imprimir texto A- A+

Na última segunda-feira, numa concorrida sessão solene da Câmara Municipal de Fortaleza, o jornalista Fernando Maia recebeu a Medalha Boticário Ferreira, em reconhecimento aos seus inestimáveis serviços prestados, como profissional de imprensa, essenciais ao avigoramento das Instituições Democráticas e, sobretudo, à liberdade de expressão, sendo intérprete de tais posicionamentos nas suas colunas, na mídia, sempre com enfoque em temas onde se incluem os legítimos direitos de Cidadania. Tenho convivido com ele, desde a antiga sede da Assembleia Legislativa, situada na época, no Palácio Senador Alencar, quando, à frente do tradicional Comitê de Imprensa, ali integrava equipe homogênea, que divulgava debates relevantes, vinculados aos interesses do Ceará e do País.
Em instante cruciais, mormente quando enfrentei período tormentoso, em função da eclosão do 31 de março de 1964, sabia posicionar-se com firmeza, defendendo a AL de críticas equivocadas, que maculavam a imagem do Poder, que integrávamos, naquela ocasião.

Nenhuma de minhas iniciativas no Legislativo Estadual, igualmente, quando membro do Congresso Nacional, anos depois, deixou ele de ressaltar, sobretudo, o Fundo Constitucional do Nordeste, cujo trintenário, em julho último, foi alvo de evento solene no BNB, oportunidade em que recebi agradecimentos comoventes, especialmente porque, a proposta de nossa bancada, que me teve como primeiro signatário e, consequentemente, como autor, significara, nessas três décadas, algo em torno de 226 bilhões, para a Agricultura, Indústria e Comércio. Além disso, no discurso que ele proferiu no Legislativo local, agradecendo a Comenda que lhe era conferida, mencionou a Autonomia Política das Capitais, – primeira de minhas proposições ao alçar-me ao Parlamento Nacional, no pleito travado em novembro de 1974, esta, pondo fim à fase do Prefeito nomeado, embora, esses, entre os quais, o de nossa Capital, souberam cumprir, com proficiência, os encargos que lhes eram atribuídos, por período limitado.

Confesso, neste artigo, que me emocionei, ao relembrar que, daquela tribuna, eu tivera a prerrogativa de usar, pela força do povo fortalezense, assim como ocorreu no Senado e na Câmara dos Deputados, sempre me dediquei à abordagem de temas relacionados às liberdades públicas e aos direitos fundamentais da Cidadania. Ressalte-se, por fim, que não me dispensei de destacar a Assembleia Nacional Constituinte, presidida por Ulysses Guimarães, a quem substitui tantas vezes e, nesse momento, passei a ser o titular do aludido posto, quando se comemorará, em outubro próximo, o trigésimo aniversário de nossa Lei Maior, na qual se acham inseridos direitos e garantias, timbrados por constituintes que souberam honrar e dignificar a missão recebida, no pleito de 1986. O presidente da magna Solenidade, vereador Acrísio Sena, atento ao primoroso cerimonial, confiado a Ana Juaçaba, agradeceu aos 150 convidados, especialmente o representante do governador Camilo Santana, Eudoro Santana, homem público competente, a quem já foram incumbidos cargos relevantes, em diversas esferas administrativas do País, do Estado e de nossa a Capital.
A expressiva láurea merecia ser atribuída ao talento e espírito público do homenageado daquela noite de relembranças cívicas.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter