quinta-feira, 20 de junho de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Livro: o melhor presente no Natal

LUIZ CARLOS AMORIM ESCRITOR

quarta-feira, 12 de dezembro 2018

Imprimir texto A- A+

Estamos vendo, nos últimos tempos, grandes empresas entrando em falência e fechando. Pior, editoras e grandes livrarias estão fechando, um tanto em razão da crise econômica que atravessamos, e outro tanto pela diversificação de tecnologias da leitura e de vendas. Vivemos uma revolução no formato do livro: e-book ou livro eletrônico, audio-livro. Vivemos uma revolução na maneira de vender livros: não se compra mais livros apenas nas livrarias, agora compramos livros em sites, em lojas virtuais, pela linternet, que entregam o livro em nossa casa.

Duas das maiores redes de livrarias brasileiras pediram recuperação judicial, com dívidas em torno de um bilhão de reais. Outras redes de livrarias estão tomando o lugar delas, mas a crise é mundial. Constata-se que a dificuldade é dos vendedores de livros e não dos compradores, pois o livro continua a ser comprado, até com uma discreta melhora na quantidade. E acredito que isto realmente esteja acontecendo, pois além do livro físico, impresso, os e-books e áudio-livros também estão vendendo. Então, parece que o contingente de leitores não está diminuindo, o que está diminuindo é a quantidade de lojas físicas. Mas isso é uma pena, é grave.
A Câmara Brasileira do Livro contabiliza cerca de 1,4 mil empresas do gênero. Não há livrarias em 73% dos municípios brasileiros, e naqueles onde existem, a maioria está localizada no eixo Rio-São Paulo. 56% das livrarias brasileiras estão concentradas nas regiões Sul e Sudeste. O Nordeste fica com 15% do total, enquanto o Norte concentra apenas 3%.

Então, apesar de sermos um País onde ainda se lê pouco, o número de leitores não diminuiu, graças a Deus. Mas precisamos ler mais. Leitura é conhecimento, cultura, educação. Então, que tal ajudarmos, cada um de nós, que já somos leitores, a dar uma ajuda, fazer um pouquinho de nada, que cada um fazendo a sua parte, o todo pode mudar, e muito? Podemos dar livro de presente, neste Natal. Que tal entrarmos nessa campanha e incentivarmos que nossos amigos e nossos familiares dêem livros de presente? Seria uma boa iniciativa para que mais uma livraria não fechasse perto de nós, na nossa cidade, no nosso Estado.

Vamos comprar livros para dar de presente? Além de incentivar a leitura, que é uma coisa importantíssima, estaremos colaborando para que não fechem mais livrarias. Vamos dividir essa ideia. Vamos compartilhar essa ideia. Vamos colocar em prática essa ideia. Todos nós conhecemos pessoas que gostam de ler, mas não compram livros porque não podem. Podemos conquistar novos leitores, também. Então, mãos à obra. Aos livros!

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter