terça-feira, 23 de julho de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Mensagem da CNBB ao povo brasileiro

BRENDAN COLEMAN - REDENTORISTA

terça-feira, 14 de maio 2019

Imprimir texto A- A+

No dia 08 de maio de 2019 os bispos do Brasil em sua 57ª. Assembleia Geral, em Aparecida, emitiram uma “Mensagem da CNBB ao povo brasileiro”. É um documento longo de grande valor e importância. No documento os bispos deploram “a crise ética, política, econômica e cultural que está se aprofundado cada vez mais no Brasil”. Em sintonia com a Campanha da Fraternidade deste ano “Fraternidade e Políticas Públicas”, os bispos nos alertam para os riscos envolvidos “por um liberalismo exacerbado e perverso… ignorando as políticas sociais de vital importância para a maioria da população” e aumentando as desigualdades sociais tornando os ricos mais ricos à custa dos pobres mais pobres (cf.1ª. página da Mensagem). Há menção sobre os graves problemas vividos pelos brasileiros, atualmente, devidos ao desemprego e as medidas ineficazes que estão sendo tomados para combatê-lo. Citando dados do IBGE a “Mensagem da CNBB” fala sobre mais de “13 milhões de brasileiros desempregados e 28 milhões de subutilizados” (cf. op. cit.). Os bispos enfatizaram a primazia da pessoa sobre o mercado; citaram a Exortação Apostólica “Evangelii Gaudium” do papa Francisco para mostrar o que a Doutrina Social da Igreja ensina sobe isso: “A dignidade de cada pessoa humana e o bem comum são questões que deveriam estruturar toda a política econômica, mas às vezes parecem somente apêndices adicionados de fora para completar um discurso político sem perspectivas nem programas de verdadeiro desenvolvimento integral” (cf. Evangelii Gaudium, 203).
Os bispos chamaram nossa atenção para a corrupção onde o desvio de recursos que poderiam ser destinados ao investimento na educação, na saúde e na assistência social terminam em outros destinos. Na vida o mais importante não é o ter, mas o ser. Outro assunto abordado na Mensagem pelos bispos foi à violência. Segundo eles a violência no país “atinge níveis insuportáveis”. Especificamente a Mensagem menciona o número de jovens assassinados, o feminicídio, o submundo das prisões, a criminalização daqueles que defendem os direitos humanos etc. O documento deplora uma economia que coloca os lucros acima da pessoa, assim produzindo exclusão e desigualdade social. Neste contexto nos lembraram a mercantilização das terras indígenas e das quilombolas. Citaram mais uma vez as palavras do papa Francisco: “Uma economia que coloca o lucro acima da pessoa, que produz exclusão e desigualdade social, é uma economia que mata” (cf. EG 53). A Mensagem da CNBB de Aparecida recorda outro documento da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil afirmando que: “As necessárias reformas políticas, tributárias e da previdência só se legitimam se feitas em vista do bem comum e com participação popular de forma a atender, em primeiro lugar, os pobres “juízes da vida democrática de uma nação” (cf. Exigências éticas da ordem democrática, CNBB, No. 72).
A Mensagem da CNBB ao povo brasileiro enfatiza que: “o verdadeiro discípulo de Jesus terá sempre no amor, no diálogo e na reconciliação a via eficaz para responder à violência e à falta de segurança inspirado no mandamento “Não matarás”, e não em propostos que flexibilizem a posse e o porte de armas”.
Um breve artigo como este somente pode abordar superficialmente alguns dos tópicos profundos e complicados tão bem analisados nesta “Mensagem da CNBB ao Povo Brasileiro”. Este documento merece nossa reflexão. O texto completo pode ser encontrado em qualquer livraria católica.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter