28 C°

quinta-feira, 25 de maio de 2017.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Padres na mídia

sexta-feira, 17 de março 2017

Imprimir texto A- A+

O enorme poder da imagem na TV foi aproveitado pelas igrejas evangélicas, com seus cultos e música gospel, e lhes propiciou um imenso salto qualitativo. A Igreja Católica chegou tarde para reconhecer a incrível influência da mídia e assumí-la pastoralmente. Corre, agora, atrás do prejuízo e da significativa perda de fiéis por causa da demora. Concordo com Padre Zezinho que disse “o povo frequenta mais a TV do que o altar e ouve muito mais o que é dito pela TV do que pelo púlpito”. Os padres na mídia, padres como: Zezinho, Marcelo Rossi, Fábio, Reginaldo, Zeca, Robson etc. estão exercendo uma nova forma de pastoral numa nova realidade que é polêmica e não sem riscos.

Muitas vezes, os padres na mídia são criticados por enfatizar ou privilegiar o louvor em detrimento do enfoque sócio-teológico, ou questionam se o lugar central nas megacelebrações é o padre ou Jesus Cristo? Há também uma desconfiança de que os padres estão sendo usados numa guerra entre emissoras rivais, em busca de um ibope melhor. Há também dioceses e paróquias que seguem uma linha pastoral de cunho libertador e que gostariam de ver abordado nos programas dos padres na mídia assuntos como: justiça, violência, solidariedade, família, ecumenismo, drogas e ecumenismo etc. Realmente é difícil agradar todos. Padre Zezinho sugeriu, alguns anos atrás, que a CNBB emitisse um documento orientando a atuação dos padres que falam ou cantam na mídia.

Estamos diante de uma nova realidade pastoral e os padres na mídia são corajosos, trabalhando num ambiente secular. Eles devem usar seus grandes talentos para evangelizar. Porém, devem ser mais sensíveis ao conteúdo de suas homilias. Além do louvor devem abordar as “urgências na ação evangelizadora” das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil 2015-2019. Os padres na mídia com sua linguagem pós-moderna, com sua música contagiante, com suas personalidades extrovertidas, simpáticas e carinhosas estão comunicando aos milhares de jovens que não frequentam a igreja e, por que não dizer, trazendo-os de volta à igreja. O poder da pastoral dos padres na mídia que é bem recebido em milhões de lares brasileiros, não pode ser ignorado pela Igreja. A música exerce um papel importante na atual propagação das denominações religiosas, e padres na mídia estão fazendo um marketing religioso católico frente a um pluralismo religioso cada vez mais competitivo.

Brendan Coleman
Redentorista

outros destaques >>

Facebook

Twitter