sexta-feira, 23 de agosto de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Réveillon abençoado

sexta-feira, 08 de janeiro 2010

Imprimir texto A- A+

A maior festividade da virada do ano na minha terra natal Palmácia foi religiosa. Às 22 horas houve a Santa Missa presidida pelo reverendo padre Marcos Antônio de Oliveira ( em clima de despedida, pois dia 17, às 19 horas, deverá assumir em Fortaleza a Paróquia de Jesus, Maria e José, em Antônio Bezerra, sendo substituído pelo reverendo padre Antônio Nazareno da Graça Albuquerque, que vai de Baturité com posse anunciada para o dia 30). Foi uma Celebração Eucarística que entra para a história, pois na passarela da nave central, estava disposta a grandiosa cruz de oito metros, que ao raiar do dia 1º foi conduzida por inúmeros fieis , em cânticos e orações, para o topo do “Morro do Santo Cruzeiro”. Um sonho acalentado desde o fatídico 24 de abril de 1986, quando a descarga de um raio destruiu o tradicional e santo lenho que abençoava a cidade desde 15/08/1939 (primeira solenidade sacra) renovada em 16/02/1941, ambas presididas pelo padre holandês, Pedro Vermelen.

O novo Santo Cruzeiro, branquinho, em alguns momentos, confunde-se com as nuvens e foi doado por Jailson (Madereira Jaguar). O morro, situado entre as colinas “Torre da Lua” e “Bacamarte” volta a ser local de peregrinações. Na placa inaugural consta: “Arquidiocese de Fortaleza – Paróquia São Francisco de Assis. Esta linda cruz, símbolo da nossa fé em Jesus Cristo, foi reerguida no Dia Mundial da Paz, pelo povo cristão desta Paróquia durante as comemorações do Ano Sacerdotal, para nos lembrar que somos filhos amados de Deus e a Ele devemos honra e louvores. ‘Pois a linguagem da cruz é loucura para aqueles que se perdem. Mas para aqueles que se salvam, para nós, é poder de Deus’. (1 Cor 1,18) – Organizadores: Grupo do Terço dos Homens, reverendo pe. Marcos Antônio de Oliveira Marcos. Apoio: Gilsinho 100% Palmácia -1º/jan./ 2010”. Na homília, em clima natalino, o padre Marcos lembrou que “Manjedoura e cruz, início e fim, estão intimamente relacionados” e que “Nossa Senhora, como co-redentora, está presente tanto na manjedoura de Belém como na Cruz do Calvário”. Destacou, dentre outros, o apoio do prefeito Cláudio Martins e da primeira dama Regina Campos Martins. Já o prof. Alessandro Andrade lembrou que originalmente, na subida do “Morro do Santo Cruzeiro”, haviam 14 colunas representando estações da “Via Sacra”, doadas por destacados palmacianos: Atanásio Perdigão Sampaio (meu tio), Joca Barbosa, José de Lima Luz, Antônio Fernandes, Arcelino Gomes Tavares (meu tio-avô paterno), Antônio Joaquim de Oliveira (meu avô paterno), Salustiano Ribeiro, Virgílio Sampaio, Clementino Campelo, Benjamim Campelo, Pedro Sampaio de Andrade Lima (meu avô materno), Leôncio Macambira, Francisco Lourenço e Raimundo Mundico. Outro momento festivo que participei na Paróquia de Palmácia, foi a comemoração dos 25 anos de sacerdócio do ex-pároco Leandro Araújo, no domingo, dia 3. Portanto, um réveillon abençoado!

Paulo Tadeu – Jornalista

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter