quarta-feira, 26 de junho de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Suicídio: causas e como evitar

BRENDAN COLEMAN - REDENTORISTA

terça-feira, 11 de junho 2019

Imprimir texto A- A+

Segundo a revista The Lancet, periódico londrino especializado em saúde, “O suicídio já é a segunda maior causa de morte entre jovens no mundo”. No Brasil, a situação não é diferente: o suicídio já está em terceiro lugar entre as principais causas de morte entre jovens, perdendo apenas para os homicídios e os acidentes de trânsito. Suicídio (do latim sui, “próprio”, e caedere, “matar”) é o ato intencional de matar a si mesmo. Segundo o CVV (Centro de Valorização da Vida) de São Paulo, cinco entre cada 100 mil brasileiros, com idade entre 15 e 24 anos cometem suicídio. Dados divulgados pelo BBC Brasil indicam que, entre 1980 e 2014, a taxa de suicídios entre jovens de 15 a 30 anos aumentou 27,2%.Estes dados são preocupantes e merecem um olhar atento de todos nós.
Dr. Matthew Nock, da Universidade de Harvard, “a maioria das pessoas que cometem suicídio tem algum transtorno mental”. Dentro estes as principais causas de suicídio são: depressão, dependência de drogas, transtorno bipolar, anorexia, esquizofrenia, solidão, problemas conjugais, dificuldades financeiras, presença de graves doenças como HIV e câncer, “bullying”, perdas afetivas, divórcio ou separação dos pais, e transtorno de personalidade. “Os transtornos das famílias envolvidas são terríveis”. O psicólogo Odair Comin afirma: “A verdade é que as pessoas não estão preocupadas com o bem-estar do outro. As novas gerações cultivam cada vez mais o individualismo”, justifica. Ele acredita que os jovens de hoje possuem milhares de amigos, mas interagem entre si virtualmente. Esse tipo de relação é muito diferente do que acontece no mundo real. Segundo a revista The Lancet os jovens que estão pensando em suicidar sevitam procurar ajuda para não deixar a notícia vazar e, assim, fiquem estigmatizados na escola e entre seus familiares como suicidas.
Sempre leve com seriedade uma ameaça de suicídio. Orientações para evitar um suicídio incluem: a) Procure ajuda profissional imediatamente. O número do telefone do CVV é 141; b) Ligue ou vá ao hospital com uma pessoa amiga; c) Converse ou telefone, imediatamente, para uma pessoa de confiança; d) Chame um amigo espere pela ajuda e não faço uso de drogas ou álcool nestes momentos; d) Converse com um líder espiritual (padre, pastor ou capelão de hospital, são pessoas de muita experiência); e) Encontre um grupo de apoio on-line ou presencial; f) Livre-se de quaisquer objetos que possam facilitar o suicídio (arma de fogo, faca, veneno, drogas, bebida alcoólica, cordas etc.); g) Não fique sozinho; h) Durma se tiver um amigo com você; i) Entenda que sempre podemos fazer novas escolhas para mudar a situação de desespero, (mude de escola, de casa, de bairro, de cidade, abandone um relacionamento abusivo etc.); j) Procure um terapeuta. k) Não encare o suicídio como forma de vingança; l) Lembre-se que Deus e muitas pessoas amam você. É de enorme importância mostrar amor, solidariedade e preocupação com o potencial suicida. Contate um adulto ou profissional em quem o jovem confia, isso pode evitar a tragédia. Às vezes, a ameaça de suicídio pode ser um esforço para receber mais atenção, um tipo de chantagem emocional. Porém, não deve ser ignorado. Precisamos ajudar nossos jovens a viver vidas com relacionamentos positivos, com riquezas internas, conteúdos, virtudes e valores onde os jovens se sentem valorizados, estimados e queridos. Então o jovem não pensará mais sobre o suicídio.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter