domingo, 18 de novembro de 2018.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Alckmin critica inexperiência de adversários em nova propaganda

sexta-feira, 14 de setembro 2018

Imprimir texto A- A+

Na nova propaganda que levou à TV na noite de ontem (13), Geraldo Alckmin (PSDB) atacou a falta de experiência de seus adversários. “Se você já teve que procurar trabalho, você sabe: não importa a função. Sem experiência é quase impossível arranjar emprego. Agora, quem vai dar emprego é você. Você escolhe quem vai tirar o Brasil da maior crise da história. Exija experiência também” diz o locutor, antes de o tucano falar de seu currículo como governador de São Paulo.
“O presidente não pode aprender a governar durante o mandato”, diz Alckmin. O tucano não cita nomes. De seus principais adversários, apenas Jair Bolsonaro (PSL) nunca ocupou cargo no Executivo.

Se o candidato evitou citar o capitão reformado, que está internado recuperando-se da facada que levou na semana passada, criticou nominalmente Ciro Gomes (PDT), Marina Silva (Rede), Henrique Meirelles (MDB) e Fernando Haddad (PT). Na peça, Alckmin os relaciona a governos do PT, partido a que atribui o desequilíbrio fiscal e o desemprego.
O vídeo da noite de ontem também trouxe críticas diretas à ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e ao presidente Michel Temer (MDB). “A incompetência dos governos Dilma e Temer transformou o Brasil num verdadeiro cemitério de obras”, critica o tucano após mostrar várias construções inacabadas.

Bolsonaro
As críticas ao ex-militar acabaram ficando para declarações diretas à imprensa. Alckmin afirmou ontem que o atentado a Bolsonaro, que passou por nova cirurgia de emergência na madrugada de quarta para quinta-feira, não deveria influenciar a corrida presidencial. Questionado pela reportagem sobre os efeitos do ataque para a disputa, o tucano disse que é preciso rechaçar aventureiros.

“É preciso ter cuidado para não ter aventureiro e aí a população pagar o preço de tudo isso”, afirmou durante visita ao Instituto do Câncer, no centro do Rio de Janeiro. “Uma coisa é a solidariedade ao candidato e já o fiz, vítima desse ato covarde. Outra coisa é escolher o presidente da República. Discutir propostas, equipe, como recuperar economia.”

O tucano também afirmou que acredita que a eleição será definida nos últimos momentos. “O eleitor vai ter muita reflexão, comparar, estudar, ouvir. As últimas eleições já foram assim, viradas muito grandes, muito perto da data da eleição.”
Ele disse ainda que a tarefa é chegar ao segundo turno. Para Alckmin, se esse objetivo se concretizar, ele terá grandes chances de ser o novo presidente.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter