sábado, 24 de agosto de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Camilo tenta atrair parceria de Agência Francesa

terça-feira, 11 de junho 2019

Imprimir texto A- A+

O governador Camilo Santana esteve reunido, ontem, com representantes da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD). Segundo o chefe do Executivo, o Ceará está em busca de novas linhas de crédito para a implementação de ações que melhorem a vida da população cearense.

Durante o encontro, no Palácio da Abolição, em Fortaleza, foram apresentados projetos elaborados pelo Estado para melhorar a eficiência de políticas públicas promovidas nas áreas de recursos hídricos, desenvolvimento agrário e infraestrutura, além da situação fiscal que permite com que o Ceará seja o estado brasileiro com maior capacidade de investimento.

Camilo Santana destacou o interesse do Estado em fechar novas parcerias com a AFD em áreas tratadas como prioridade em sua gestão. “Essas são áreas que têm sido prioritárias para o Governo do Ceará. Quero deixar claro o meu objetivo de fechar parcerias com a Agência (Francesa de Desenvolvimento) em áreas de saneamento básico, recursos hídricos – até pela expertise que o Ceará tem no gerenciamento desses recursos, desenvolvimento agrário, políticas voltadas para os agricultores familiares e de infraestrutura. O Estado tem mantido seu equilíbrio fiscal, sendo nos últimos quatro anos o que mais realizou investimentos públicos, que é o que a população espera de uma gestão. Estamos contentes em recebê-los aqui no Ceará e à disposição para construirmos essa parceria”, enfatizou Camilo Santana.

A Agência Francesa de Desenvolvimento atua há 11 anos no Brasil, sendo responsável pelo aporte financeiro de 1,9 bilhão de euros neste período em 40 projetos no mundo. Os recursos foram direcionados em sua maioria para desenvolvimento e mobilidade, mas há ações também nas áreas de água e saneamento básico, geração de energia e consumo e produção sustentável. Embora exista uma certa variedade na carta de projetos financiados, a AFD visa apoiar ações que resultem em menor impacto para o clima.

Para o diretor Regional da AFD no Brasil, Philippe Orliange, o Ceará apresenta requisitos que o qualificam para ser um novo parceiro da instituição em um futuro breve. “A Agência está muito interessada em políticas que o Estado tem em áreas como a manutenção do desenvolvimento dos recursos hídricos e de mobilidade urbana. As duas são políticas que têm grande impacto em serviço à população e na luta contra as mudanças climáticas, que são as duas grandes prioridades da Agência”, afirmou.

Equilíbrio
Orliange também enaltece a organização do Governo como um fator diferencial. “O Ceará tem políticas públicas de muito boa qualidade, tem continuidade dessas ações, corpo técnico que faz com que a interlocução seja boa. É um estado que também tem conexões com a Europa por conta dos voos que chegaram agora. A Agência também olha a situação fiscal do Estado e ela é muito boa. Tudo isso faz com que uma agência como a nossa tenha interesse em trabalhar com o Ceará”, disse o diretor.

Essa imagem positiva da boa gestão fiscal estadual foi reforçada com a apresentação das contas públicas do Governo feita pelo secretário de Planejamento e Gestão, Mauro Filho, mostrando a capacidade atual de investimento que o Ceará possui. “O Estado vem ao longo desses anos fazendo um ajuste financeiro que tem margem bastante ampla quando avaliada pelos indicadores estabelecidos. Aqui, a orientação é que a gente apresente todos os indicadores com a realidade, para que quem vai nos fazer o empréstimo possa ter a segurança. É por isso que o Ceará já conseguiu fazer operação de crédito em moeda estrangeira mesmo sem o aval da União, sendo o único estado brasileiro a conseguir fazer esse tipo de operação, isso por si só demonstra essa responsabilidade”, ressaltou Mauro Filho.

O corpo técnico do Governo do Ceará vai continuar se reunindo com os representantes da Agência Francesa de Desenvolvimento para delinear projetos prioritários nas áreas de interesse de novos investimentos.
Contribuíram também com os debates durante a reunião os secretários de Estado Élcio Batista (Casa Civil), Fernanda Pacobahyba (Sefaz), De Assis Diniz (SDA) e Francisco Teixeira (SRH), o secretário-executivo da Seplag, Flávio Jucá, o presidente da Funceme, Eduardo Martins, e o presidente da Cogerh, João Lúcio. Pela AFD estiveram ainda Margot Cherrid, Mathieu Boche, Laure Schaldi e Julien Burte.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter