27 C°

sábado, 23 de setembro de 2017.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Cunha entrega anexos de delação à PGR

sexta-feira, 14 de julho 2017

Imprimir texto A- A+

O ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) entregou na sexta-feira à noite os anexos de sua proposta de delação premiada. Isso não quer dizer, entretanto, que ele esteja perto de assinar um acordo com a Procuradoria-Geral da República (PGR).

O material ainda está sendo analisado, mas a expectativa dos investigadores, surpreendentemente, não é das mais otimistas.

Reprodução

Cunha ou Funaro
Cunha e seu ex-sócio Lúcio Funaro buscam meios para sair da cadeia já há algum tempo, mas só recentemente demonstraram de forma concreta a intenção de confessar seus crimes e delatar comparsas. Apenas um deles dois, entretanto, poderá se tornar colaborador da Justiça. Investigadores envolvidos nas negociações da delação garantem: “Por essa porta só vai passar um”.

Temer
As delações de ambos têm como pano de fundo a segunda denúncia que a PGR apresentará contra Michel Temer. Prevista para ser encaminhada em agosto ao Supremo Tribunal Federal (STF), a peça acusa Temer de ter obstruído investigações ao ter dado sua anuência pessoal à compra do silêncio de Cunha e Funaro.

Preso
Preso desde outubro do ano passado em Curitiba, Cunha entregou os anexos e agora aguarda um posicionamento do grupo de trabalho da Lava-Jato na PGR. Funaro – há um ano na cadeia – foi transferido recentemente da Penitenciária da Papuda para a carceragem da Polícia Federal em Brasília. O objetivo: delatar.

Fonte: Política com K/Valor

Mais conteúdo sobre:

Cunha Delação PGR

outros destaques >>

Facebook

Twitter