25 C°

quarta-feira, 29 de março de 2017.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Em alusão a São José, Camilo Santana libera R$ 148 milhões

segunda-feira, 20 de março 2017

Imprimir texto A- A+

Em comemoração ao padroeiro do Estado, o Governo do Ceará anuncia R$ 158 milhões – sendo R$ 148 milhões para projetos produtivos, assistência técnica e projetos de água, somados a R$ 10 milhões que serão investidos no Mapeamento de Solo do Ceará, realização que contará com o apoio da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). O anúncio foi feito durante eventos nas cidades de Itarema, Crateús e Chorozinho, que lançou o chamado projeto São José lll.

Os recursos – por meio de ações executadas pela Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA) – beneficiam cerca de 20 mil famílias de 101 cidades cearenses. O investimento, aplicado por meio do Projeto São José III, em 2017, é o maior recurso já liberado para projetos produtivos no Ceará: R$ 93 milhões, do total de R$158 milhões.

Em discurso, destacou a importância do projeto São José lll. “Essa é a maior liberação de recursos da história do São José para projetos produtivos. Nós temos muitos homens e mulheres que trabalham no campo, levando alimento para todos os cearenses. E eles estão sofrendo há mais de cinco anos com a seca. Então, este ano, o São José é uma forma de reconhecimento a esse público”, pontuou ele, acrescentando que não perde a fé numa quadra chuvosa maior. “Agora é rezar para que continue chovendo no nosso Estado, para que possamos comemorar uma boa quadra invernosa”.

Sobre as condições de produção dos agricultores, o chefe do Executivo estadual apontou o que é um dos objetivos do projeto. “Queremos levar mais equipamentos para os assentamentos, para as associações e para os próprios produtores rurais. E não vamos medir esforços de manter e aumentar cada vez mais os investimentos para os homens e mulheres do campo”, concluiu.

Mapeamento
Além dos projetos, o trabalho de mapeamento do solo irá amadurecer os estudos para indicar aptidão das terras para atividades agrícolas, delimitando com mais precisão o zoneamento de agricultura. As pesquisas vão identificar a melhor época de plantio e as culturas mais apropriadas minimizando, assim, distorções e proporcionando condições para impulsionar o desenvolvimento do Ceará através da possibilidade de sua utilização para fomentar políticas públicas intersetorialmente.

outros destaques >>

Facebook

Twitter