terça-feira, 17 de setembro de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Gony Arruda pede proteção policial temendo represália e acusações

quarta-feira, 03 de setembro 2008

Imprimir texto A- A+

Clima tenso na Assembléia Legislativa durante a sessão plenária de ontem. E tudo, mais uma vez, por conta da polêmica envolvendo o uso de uma voz falsa do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em campanhas no interior do Estado. O assunto já tinha sido trazido ao plenário da Casa pelo primeiro vice-presidente da AL, deputado Gony Arruda (PSDB), semana passada, mas voltou nesta terça-feira num tom de pedido de socorro feito pelo mesmo tucano.

Dos seis tempos de 15 minutos destinados aos debates da manhã, o parlamentar ocupou quatro deles só para tratar do assunto. Durante sua uma hora de pronunciamento transmitido pela TV Assembléia, ele defendeu o pai, Esmerino Arruda (PSDB), que é acusado de ter modificado a propaganda eleitoral de rádio de seu adversário na disputa pela prefeitura de Granja, Romeu Aldigueri (PPS). Em determinado momento, Gony pediu ao presidente da Assembléia, deputado Domingos Filho (PMDB), que disponibilize seguranças para garantirem a integridade física dele e do pai.

O deputado explicou que fez a solicitação temendo que os ânimos na campanha da localidade se exaltem ainda mais e algo grave aconteça. “Ele fraudou a voz do Lula e está dizendo que foi o meu pai. Então, pra ele arrumar um quilo de cocaína e colocar no meu carro não é muita coisa”, afirmou, lembrando que o marqueteiro contratado por Romeu para produzir a imitação da voz do presidente admitiu a fraude, apesar de Aldigueri negar tudo e dizer que Esmerino é o responsável. 

Num discurso duro, Gony reiterou as críticas ao adversário de seu pai dizendo que a falsificação da voz “é muita cara de pau e a maior mentira deslavada que já viu acontecer em Granja”. Contudo, o parlamentar também pediu reforço policial para Romeu. Motivo: receio de que ele sofra algum atentado e a culpa recaia sobre a família Arruda. “Quero que arrumem três ou quatro seguranças para ele, porque esse cara tem tanto inimigo que tenho medo de que alguém faça alguma maldade contra ele”, complementou, ouvindo de Domingos Filho que a segurança será garantida.

Mas as demandas de Gony não pararam por aí. O tucano também pediu ao presidente que “use do seu prestígio junto à Polícia Federal e ao TRE” para que estes órgãos enviem “olheiros” para Granja e apurem o que está acontecendo por lá.

A súplica tucana surtiu tanto efeito que quatro deputados apartearam o pronunciamento e se disseram solidários à causa. Edson Silva (DEM), Ely Aguiar (PSDC), Moésio Loiola (PSDB) e Luiz Pontes (PSDB) criticaram a fraude e ressaltaram a necessidade de se reforçar a segurança no Interior. Moésio chegou a citar os municípios de Guaramiranga, Salitre, Viçosa do Ceará e Ipu como exemplos de localidades que precisam sofrer uma intervenção imediata. “A qualquer momento vai pegar fogo e, antes de acontecer, tem que conter os ânimos”, disse o tucano.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter