sábado, 21 de setembro de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Para Heitor, alguns reajustes de servidores são penduricalhos

quinta-feira, 10 de julho 2008

Imprimir texto A- A+

Atendendo a vários pedidos de representantes de sindicados ligados aos servidores do Estado, o Governo enviou, na última terça-feira, à Assembléia um conjunto de mensagens que dispõem sobre os reajustes para a categoria. As propostas pediam urgência e os deputados chegaram a se reunir ontem mesmo, em comissões, para deliberarem acerca da questão que deverá ser levada à Plenário ainda esta semana. A base de apoio do Governo, não só acatou as mensagens nas reuniões das comissões, como prestou diversos elogios ao Governador.

Entretanto, Heitor Férrer (PDT), quem está há alguns dias enfrentando sozinho, para cumprir seu papel de opositor, a imensa bancada que dá apoio a Cid na Casa, não gostou do teor das mensagens. “Ainda é pouco o reajuste, que na verdade nem significa aumento real para a categoria”, criticou o pedetista. Para ele, o Governo se “vangloria” constantemente das arrecadações e deveria, portanto, honrá-las dando aumento “justo” aos servidores. “São verdadeiros penduricalhos as gratificações concedidas aos policiais e ao Corpo de Bombeiros”, disparou.
“Eu não peço 20%, nem 25% de reajuste, até porque sei que a Lei de Responsabilidade Fiscal não permite e não há condições, mas sei que 10% ou 11% é possível”, declarou Heitor informando que quando a votação for levada a Plenário seu voto será contra as mensagens. E sabendo que o seu será, talvez, o único desfavorável ele se adianta: “faço isso em forma de protesto.” Ele justificou seu posicionamento explicando que vai atender a um pedido dos representantes dos servidores que fizeram um apelo pedindo que os deputados não votassem reajustes que fossem abaixo da inflação. “Obviamente é desconfortável votar contra aquilo que é ganho e não faço de livre e espontânea vontade, mas atendo a um pedido dos servidores”, desabafou Heitor.
De imediato, o líder do Governo na Casa, Nelson Martins (PT), fez questão de se pronunciar para rebater as críticas de Heitor. O petista explicou que esse percentual concedido agora é o que é possível no momento, mas assegurou que todas essas reivindicações ainda serão tratadas diretamente pelo Governador. Nelson chegou a garantir a Heitor que se o pedetista votasse a favor não estará descumprindo o pedido dos servidores, pois eles estão pedindo que vote nas matérias em que o reajuste está acima da inflação, o que, segundo o líder, é o que está acontecendo para cerca de 90.000 funcionários públicos do Estado. “Portanto está tendo aumento real e o pedido dos servidores está sendo cumprido”, declarou.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter