terça-feira, 17 de setembro de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Prefeituráveis participam de debates na FA7

quarta-feira, 03 de setembro 2008

Imprimir texto A- A+

Auditório lotado e olhos atentos. Este foi o cenário do debate promovido na noite de ontem com os prefeituráveis na Faculdade 7 de Setembro.

A petista Luizianne Lins faltou por motivos pessoais. Pastor Neto Nunes (PSC) mandou o vice, porém o enviado não pôde participar. Na pauta, assuntos conhecidos, como saúde, educação, moradia e emprego.

No primeiro momento, Patrícia Saboya (PDT) questionou o rompimento de Renato Rose (Psol) com Luizianne (PT). Renato respondeu que o PSOL busca uma outra alternativa de esquerda, uma vez que o ciclo do PT não mudou o Brasil. “Nós não nos acomodamos. Não apoiamos Cid Gomes. É o mesmo governo do Tasso, Lúcio e Ciro”, afirmou. Patrícia chegou a dizer que isso foi uma indireta e que é necessário respeitar as experiências.

Aguiar Júnior (PTC) tocou no assunto das barracas da Praia do Futuro. Adahil Barreto (PR) respondeu que isso faz parte da cultura do fortalezense e que é necessário fazer uma ordenação e que a destruição vai causar um grande impacto ao turismo.

O republicano perguntou a Carlos Vasconcelos (PCB) quais eram seus projetos. O candidato ressaltou os problemas de saúde causados pelo trabalho imposto pelo sistema capitalista.

Carlos elevou o passado do partido de Moroni Torgan (DEM) e perguntou de que forma as pessoas podem confiar nele. O Democrata falou que é vítima de xenofobia e há dez anos se prepara para ser prefeito. “Debate ideológico é bonito, mas é a minha ideologia que o povo precisa”, respondeu.

Luiz Gastão (PPS) debateu projetos culturais com Patrícia Saboya (PDT). “Falo com orgulho que sou a autora da lei de cultura. Sou a mesma pessoa aqui, num bar e no Senado. Já andei lado a lado com o Roseno, que até me chamou para ser do PSOL. Vou manter os espaços públicos e fortalecer isso em cada regional”, disse. Sobre o orçamento da cidade, Aguiar Júnior (PTC) respondeu a Moroni que R$ 3 bilhões é o suficiente, desde que se abra os olhos para a realidade.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter