quarta-feira, 26 de junho de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

A bandidagem na eleição

Fernando Maia

Colunista - Política

quarta-feira, 22 de agosto 2018

Imprimir texto A- A+

 

A desembargadora Nailde Nogueira, presidente do TRE, comunicava, ontem, à imprensa um acerto com o governador Camilo Santana, com o objetivo de que sejam requeridas ao Ministério da Segurança Nacional forças federais para garantir a segurança ao pleito do dia 7 de outubro. Medidas dessa natureza sempre foram vistas no passado, com naturalidade, tendo em vista a necessidade de ordem para que os cidadãos cumpram tranquilamente o dever cívico do voto. Ocorre que, dessa vez, a preocupação das autoridades está direcionada, não só para a ordem nas cidades e nas seções eleitorais, mas, como esclarece a própria desembargadora, é também contra ações de criminosos que têm se constituído em ameaças que podem influenciar o resultado do pleito. Isso se justifica em consequência de alertas de deputados, vereadores de Fortaleza e lideranças do Interior, sobre a existência de políticos, cuja eleição, tem o apoio financeiro do crime organizado. Tais episódios nos remetem ao tempo da República Velha, em que as eleições eram decorrentes da predominância de chefes políticos, cujos jagunços com seus trabucos, indicavam aos eleitores apavorados se era para votar em Aciolly ou em Rabelo.

Agências suspeitas.
Danilo Forte (PSDB), presidente da comissão especial que trata de medidas urgentes na Câmara Federal para as agências reguladoras, diz que é difícil colocar nos eixos instituições públicas que não cumprem os seus objetivos. Merece atenção especial a ANS, por exemplo, que não impede os extorsivos aumentos dos planos de saúde.
Até parece estar em conluio com eles.

Com razão . Sobre ameaças de votos brancos e nulos, além de ausências dos eleitores, Danilo diz que é justo o povo desconfiar do momento criado por políticos.
Bom proveito . Em campanha, ao lado do filho Antonio José, o deputado Zezinho Albuquerque participou do encerramento da festa do padroeiro de Ubajara e de “show” do padre Fábio de Melo.
Má notícia . A notícia não poderia ser pior: segundo o Diap cerca de 75% dos atuais deputados federais deverão ser reeleitos, quando brasileiros torciam exatamente pelo contrário.
Custou caro .
Para o general Guilherme Theophilo, candidato do PSDB ao Governo, o erro das Forças Armadas, em 1964, foi não devolver logo o poder aos civis, devido aos atos institucionais. – Isso custou caro à Nação.
Vá entender! .
No final da semana, em ato político, o governador Camilo jurava a Ciro Gomes que estavam juntos na campanha. Segunda-feira, em ato do PT, garantia apoio a Lula da Silva.
Medalhista .
Dia 29, em Fortaleza, o treinador supercampeão mundial e olímpico de vôlei, Bernardinho, candidato a senador pelo Rio de janeiro, estará dando uma força a candidatos do Partido Novo.
Dançando . Na visão do deputado Evandro Leitão (PDT), líder do Governo a renovação no Legislativo poderá acontecer se os deputados não tiverem produzido o que o eleitor esperava.
Unifor . Ontem, às 19 horas, sessão solene solicitada pela deputada Fernanda Pessoa (PSDB) comemorativa dos 45 anos da Unifor.
Reservatórios . Advertência do deputado Carlos Matos, do PSDB: em vez de apenas brigarem por votos, os deputados-candidatos devem lutar em defesa dos reservatórios hídricos ameaçados de secar.
Exagerou . Na defesa do seu ídolo Lula, Elmano Freitas diz que, “se a Justiça Brasileira quiser mostrar um mínimo de decência”, está na obrigação de dar a liberdade do ex-presidente.

“Os partidos políticos não passam de variantes do pior tipo de absolutismo real”. Raul Seixas (1945-1989, cantor e compositor).

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter