sábado, 21 de setembro de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

A grande divisão

Macário Batista

Colunista - Política

segunda-feira, 18 de março 2019

Imprimir texto A- A+

Quem ouviu o voto do ministro Gilmar Mendes, contra o fatiamento de ações que ligam réus a fatos políticos, defendidos pelos meninos da Lava Jato, por certo viu na TV ou ouviu no rádio um dos mais agessivos libelos contra membros da força-tarefa de Curitiba. Gilmar Mendes deu uma aula de adjetivos que eu nem sabia que eram sinônimos. Entretanto em nenhum momento chamou os meninos e meninas de analfabetos. Pelo conjunto da obra analfabetos seriam elogios, porque tratou, e principalmente, de que procurar fatos de corrupção e/ou caixa dois, dá dinheiro. É uma corrida do outro, disse num momento. É uma luta de poder disse de outro. Aí então, Gilmar já tratava dessa história de uma super fundação com 2,5 bilhões de reais, com o nome de Fundação Lava Jato, particular e com dinheiro público, descascou Mendes, visivelmente deixando de lado as luvas brancas da diplomacia e o “suas excelências” do trato no juridiques. Teve com ele, no voto que seguiu o do relator, cinco outros parceiros que, não tanto quanto ele, desancaram os curitibanos como ignorantes. Quando falavam disso, cuidavam das críticas e vazamentos de notícias falsas, segundo eles próprios, no intuíto de intimidar pessoas e juízes. Sei que foi um discurso que há muito não assistia do plenário do Supremo, ao vivo, em cores, sem sensura e com forte viés de raiva, muita raiva. 6 a 5, foram os votos que negaram o fatiamento querido pela Lava Jato.Resumindo: Gilmar chamou procuradores de “cretinos” e disse que “combate à corrupção dá lucro”. Pelo visto morreu maria-preá.

Noveleiro
Quem dá uma espiada nas novelas da Globo não deixou de notar que, no quarto da mega vilâ de o Sétimo Guardião, a Valentina, na parede principal tem um quadro do Chico da Silva. Seria algum tipo de homenagem ao primitivista? Seria remeter a cidadezinha da trama a um interior com obras de arte interessantes? Ali nada é por acaso.

Liberou o chefe
O ministro Moro diz que o assassinato de Marielle pode ter mandante. Imediatamente avisa que não existe nenhuma relação entre a família Bolsonaro e os suspeitos presos.

Novo dono
A Infraero não é mais a dona do aeroporto Orlando Bezerra, de Juazeiro do Norte. Como quis o governo, foi entregue a um arrendatário pra alegria das autoridades de lá.

Alegria, alegria
Sexta-feira, em São Paulo, Zé Arnon Bezerra soltava foguetes e distribuia charutos. Ele acha que o novo dono do Aeroporto da terra dele vai levar grandes investimentos pra cidade.

No páreo
Disputaram o conjunto de aeroportos nordestinos, onde estava de Juazeiro do Norte, empresas de França, Alemanha, Suiça e Espanha e um conjunto brasileiro.

Todas aqui
As empresas estrangeiras que disputaram os seis aeroportos, todas, já têm os pés aqui.França é dona de Salvador, Alemanha, de Fortaleza, Suiça… e blá blá blá.

Discurso
no Supremo
“O trapesista morre, quando pensa que voa”. A citação é do ministro Gilmar Mendes, parafraseando Mário Henrique Simonsen. Gilmar rasgava a saia da Lava Jato.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter