sexta-feira, 20 de setembro de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Agentes do bem

Fernando Maia

Colunista - Política

quinta-feira, 25 de outubro 2018

Imprimir texto A- A+

 

Ontem, quando o deputado Heitor Férrer (PSB) denunciava, problemas de saúde no Ceará, (um deficit de cerca de 3 mil leitos hospitalares), o deputado Fernando Hugo (PP) teve aprovado projeto de indicação de sua autoria, que, pela sua importância e alcance deveria ser de imediato acatado pelo Poder Executivo. Dividido em dois pontos, o projeto visa fortalecer os agentes comunitários de saúde do Ceará: primeiro, eles terão direito a cursos de aperfeiçoamento, a cada dois anos; segundo, fica estabelecido o piso salarial de R$ 1.550,00, em três escalonamentos, até 2021. O Programa de Agentes Comunitários de Saúde é responsável por salvar centenas de milhares de vidas, e sua criação remonta ao ano de 1987, no primeiro ano de governo Tasso Jereissati. De lá para cá, num processo de crescimento justificado pela sua utilidade e eficiência, o Pacs terminou se espalhando pelo Nordeste, amenizando os efeitos negativos da crise na saúde que assola todos os estados. Dentro da incontestável lógica de que, em saúde a prevenção é mais prática e menos onerosa do que o tratamento, e salva mais vidas, é urgente que o governador Camilo Santana sancione com urgência essa matéria.

Seguem juntos. Há quem afirme que o senador Eunicio Oliveira abusou da sorte ao acreditar no “já ganhou” das eleições. Assim foi na disputa pelo Governo, em 2014, e, agora, na corrida pelo Senado. Nas duas oportunidades as pesquisas o elegiam mas as urnas o derrotaram. A derrota não afetou o relacionamento com o governador, mas fez crescer o fosso que o separa de Cid Gomes, por quem se considera traído.

Camilo quer Eunicio vivo
O esforço do Governador para ajudar Eunicio Oliveira nunca deixou dúvidas, e é lembrado pelo senador como exemplo de honradez e caráter. É por esta razão que ele continua respaldando a gestão de Camilo Santana em Brasília. Mas, vem mais coisa pela frente e o senador não sabe. Camilo quer ele vivo na política do Ceará, mesmo depois de deixar o Senado Federal, concedendo ao MDB três secretarias no futuro governo.

Exercitando habilidade
Há duas versões para explicar a generosidade de Camilo. A primeira reflete o temperamento dócil de um líder que não faz política com ódio, massacrando adversários. A segunda, mais importante e mais provável, revela habilidade do Governador amparando na derrota um adversário que poderá ser de grande utilidade aos seus propósitos, fortalecendo-se para não permanecer eternamente na dependência dos Ferreira Gomes.

Coalisão . A ideia de um governo de coalisão, unindo contrários na sua segunda gestão, pode trazer dificuldades a Camilo Santana. Mas, não intransponíveis. Cid Gomes fez em Sobral.
Covil do crime . Por ocasião do Fórum Idéias e Debates, promovido pela FIEC, o ex-prefeito de Medellin, Aníbal Gavira, expôs projetos sociais que transformaram a insegura Medellin em modelo de segurança.
Desestatização . Deputados federais bolsanaristas do Ceará pretendem fazer apelo para que, se eleito, o candidato privatize a ECT, antes que ela seja devastada por tantos roubos e corrupção.
Novo PSDB? . Sem ser reeleito, o deputado Raimundo Matos (PSDB) não perde o otimismo, e mostra-se disposto a contribuir para a reestruturação da sigla, a começar pelo estado do Ceará.
Seria bom . Se Bolsonaro for eleito, deverá dar uma mexida na Lei Rouanet, criada para incentivar artes e cultura, mas de muita utilidade para encher as burras de artistas famosos.

“Diante da ameaça feita pelo criminoso Zé Dirceu, que prometeu extinguir o STF, a presepada do deputado Eduardo Bolsonaro não passa de brincadeira de menino safado”. Jornalista José Nêumanne.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter