30 C°

segunda-feira, 21 de agosto de 2017.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Asfalto ecológico e ambiente saudável

terça-feira, 18 de abril 2017

Imprimir texto A- A+

Considero uma ignorância quando determinados prefeitos de cidades interioranas localizadas em zonas tórridas de nosso Estado, como Canindé, por exemplo, autorizam o asfaltamento de vias públicas de forma atabalhoada. As cidades que já são muito quente se transformam em um forno. Alegam esses mandatários que atendem aos reclamos da população. Esquecem que em vez de irem a reboque do povo deveriam agir na condição de líderes, como orientadores, não de forma eleitoreira e irresponsável. E a contradição se faz presente quando esses mesmo agentes públicos cavalgam tantas vezes um discurso de defesa de um  ambiente saudável.

Sensível a esta situação de asfaltamento desregrado, o deputado federal Cabo Sabino (PR/CE), apresentou na Câmara dos Deputados Projeto de Lei 7013/2017, que determina a utilização de massa asfáltica produzida com borracha de pneumáticos inutilizáveis. Argumenta o parlamentar cearense que além de reduzir a degradação ambiental, na medida vai gerar economia aos cofres públicos e aumenta a durabilidade do pavimento em até 40%. Para fomentar a utilização de um asfalto ecológico nas obras, o parlamentar propõe ainda que a utilização desta massa asfáltica, seja critério de preferência e desempate para a contratação das empresas nos editais de licitação.

Ao justificar a apresentação da propositura, o deputado Cabo Sabino lembra que já em 1960 os norte-americanos iniciaram os testes com asfalto ecológico. Atualmente, o asfalto resultante dessa tecnologia cobre aproximadamente 70% das rodovias do Arizona e está presente na Califórnia, Flórida e Texas, tendo ultrapassado as fronteiras dos EUA, podendo ser encontrado na África do Sul, em Portugal e, claro, no Brasil.

Cabo Sabino esclarece ainda que, a produção do asfalto ecológico começa a partir da captação de pneus que seriam descartados no meio ambiente. Ele observa que esta ação, por si só, já representa um considerável avanço ecológico, pois garante a reciclagem dos pneus e evita que grandes quantidades de lixo se acumulem na natureza. Além disso, o asfalto ecológico tem maior aderência, o que ajuda a evitar acidentes e o uso de sprays aderentes”, salienta.

O deputado frisa também que, a utilização do asfalto ecológico traz vantagens, não apenas para o meio ambiente, mas para a qualidade das ruas asfaltadas, por ser produzido com pó de borracha, o asfalto ecológico herda as características dos pneus e garante muito mais estabilidade e aderência, justamente pelo contato da borracha do asfalto com a borracha dos pneus que estão nos veículos.

O asfalto ecológico já pode ser encontrado em algumas rodovias brasileiras, notadamente em São Paulo. Naquele Estado a tecnologia já foi implantada nas rodovias que ligam a baixada santista à capital. A implementação aconteceu durante o recapeamento da Imigrantes e da Anchieta, bem como na rodovia Cônego Domenico Rangoni.

outros destaques >>

Facebook

Twitter