quarta-feira, 20 de março de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Bolsonaro precisa cair na real

Solange Palhano

Colunista - + CADERNOS

sexta-feira, 22 de fevereiro 2019

Imprimir texto A- A+

Sempre procurei participar de momentos importantes da política brasileira. Estive presente no evento em Fortaleza pelas Diretas Já, quando Tancredo Neves esteve aqui. Infelizmente não conseguimos, naquela época, que os parlamentares aprovassem a emenda Constitucional apresentada pelo deputado Dante de Oliveira, que daria aos brasileiros o direito de votar para o presidente da República. Fiquei muito emocionada ao assistir em Brasília a sessão do Colégio Eleitoral que elegeu indiretamente Tancredo Neves, a presidência. Sessão que romperia definitivamente com a ditadura militar e daria início a redemocratização do país. Tremi quando votei pela primeira vez para presidente do Brasil.

Fui a passeata dos caras pintadas, pedindo o impeachment de Color. Quando Lula ganhou as eleições estive em sua posse. Voltei a Brasília inúmeras vezes, testemunhando acontecimentos que fazem parte da história social ,política e econômica do país.
Na ocasião da grande manifestação em favor do impeachment de Dilma, havia um palanque em frente ao Congresso Nacional que os manifestantes defendiam suas ideias. Achei hilário a participação dos militares. Para mim estava fora do contexto os gritos de um representante deles pedindo o retorno da classe ao poder. Esta possibilidade era surreal. Enganei-me totalmente.

Bolsonaro deveria ser na época um desses sonhadores. Percebendo na hora certa a decepção dos eleitores com o PT e antigos políticos, subiu no cavalo, lançou-se candidato para uma batalha que era quase impossível e venceu. Acredito em destino e este estava marcado. O sonho tornou-se realidade e ele necessita urgentemente caiu na real. Hoje, Bolsonaro não é mais o capitão, não é somente o pai do número 1, 2 e 3 e sim o presidente do Brasil. Participação de filhos só nos encontros familiares. Falar o que vem na cabeça não é comportamento para um dirigente de uma Nação, tudo que for dito tem influência no mercado. Odiar a imprensa também é um ato reprovável. Ministros, que são militares, determinam quem deve participar das reuniões é um absurdo, caso Bebianno. Diante de seus colegas, Bolsonaro tem que se impor, mostrar quem manda e ter postura de um presidente.
Já se passaram dois meses e ainda não há uma liderança forte no governo que venha convencer ao Congresso Nacional a necessidade da aprovação da reforma da Previdência. O ministro da Fazenda não foi esclarecer as dúvidas como é de costume nos governos passados apenas os técnicos do ministério .
A CUT já está se articulando para realizar manifestações em todo o País contra a reforma. Se o governo não agir rápido, jamais esta reforma da Previdência passará no Congresso Nacional.

Aprovação
da reforma

Integrantes do governo acreditam que a reforma da Previdência seja aprovada pela Câmara e pelo Senado até o fim do primeiro semestre. Não havendo uma base de apoio do governo bem estruturada, deputados têm dito que, na Câmara a proposta só será votada em junho. Há, ainda, quem acredite que a votação em Plenário fique para o fim da sessão legislativa, em 17 de julho. Só depois, o texto seguiria para apreciação do Senado.

O vice
que fala

O general Hamilton Mourão está se destacando neste governo. Enquanto Bolsonaro não gosta da imprensa, o vice-presidente recebe a todos com muita simpatia. Ele acha que dar entrevistas é dever das autoridades, até para evitar boatos. Já demonstrou que não estará no cargo só como figura representativa, dará sua opnião sobre qualquer tema desde que não haja uma posição oficial do Presidente. Uma das posições contrárias a Bolsonaro é sobre o aborto, que se diz favoravél por questão de saúde pública.

Já conferiu
o seu IPTU?

As parcelas do IPTU de 2019 já estão à disposição dos contribuintes no site da Secretaria de Finanças do Município para serem pagas desde do inicio do mês. Cuidado, é bom verificarem minuciosamente, qual o valor venal que está sendo cobrado de seu imóvel se é antigo, a metragem, a alíquota e toda a característica dele. Nas cobranças estão vindo dados errados que aumenta o valor do tributo. Se ocorrer isso, o contribuinte entra com um requerimento solicitando a correção dos dados para diminuir o valor do IPTU.

O deputado José Sarto, presidente da Assembleia, após várias reuniões com seus colegas parlamentares conseguiu a harmonia na Casa. Anunciou, esta semana, a composição das 18 comissões técnicas com a participação de diversas legendas partidárias, PDT, PC do B, PT, PR, Patri, MDb e PSD. Ainda sobre o presidente, ele esteve visitando todas as salas, conversando com os servidores com o objetivo de ficar mais próximo deles e prometendo qualificá-los cada vez mais para um melhor atendimento à sociedade cearense.

Militarizando
as escolas

Quatro escolas do Distrito Federal, que ocorreram atos de violência contra professores e alunos, mudaram sua linha de gestão. Tentando dar um ambiente seguro a todos, os militares assumiram a administração junto com os civis. Regras que antes não eram consideradas como horário de entrada, uso de uniformes, limpeza pessoal e da escola, respeito ao professor e entre os alunos estão sendo rigorosamente seguidas. Agora existe ordem , nada de violência. Professores , pais de alunos e estudantes sentem a diferença. Todos estão muito satisfeitos com o resultado obtido.

E a previdência
dos militares?

A emenda Constitucional da Reforma da Previdência para civis saiu e a reforma dos militares ficou só para ser apresentada em final de março. Para mostrar a opinião pública que o militar também dará sua cota de sacrifício, já está sendo divulgado algumas mudanças como aumento de contribuição. Mas em nenhum momento se fala de acabar com o previlégio de filhas mulheres maiores de idade, solteiras que recebem pensão vitalícia. Isto é um absurdo.

 

Ministro
Sérgio Moro

Os servidores do Ministério da Justiça, em Brasília, estão muito satisfeitos com a maneira do ministro Sergio Moro lidar com os seus subordinados, totalmente diferente dos ministros que já assumiram aquela pasta anteriormente. Todos sisudos que viviam trancados em seus gabinetes. Sérgio Moro chega ao trabalho cumprimentando a todos com muita simpatia, a porta do gabinete fica aberta, recebe sempre sugestões e opinião de seus assessores e almoça no refeitório junto com todos os servidores do ministério.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter