domingo, 18 de novembro de 2018.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Comprando cidadania

Fernando Maia

Colunista - Política

sexta-feira, 14 de setembro 2018

Imprimir texto A- A+

 

Por mais que se tenham criado meios para moralizar e modernizar as eleições no Brasil, o País continuou a assistir à repetição interminável da feira eleitoral com mercados do voto, desde que se implantou a República. A mais manjada, é a mesma de sempre; a compra-venda de votos, dizendo que nada mudou desde que Pedro Alvares Cabral comprou, com colares de contas e refletores de imagens (o velho espelho), a simpatia do cacique Morubixaba, se era esse mesmo o nome do cidadão da nova terra. Por mais que o TSE e os TREs, Ministério Público, Polícia Federal e pregadores da ética na política se empenhem, mais o mercantilismo eleitoral se firma, pouco importando se há ou não crise econômica, até porque jamais faltarão candidatos com dinheiro e eleitores “compráveis” precisando dele. Só mudou mesmo a moeda do escambo que não são mais as “bugigangas” do Cabral. Este ano, os detentores de mandatos que patrocinavam as feiras do passado, temendo a Lava Jato, se dispuseram a fazer uma campanha limpa para enganar Sérgio Moro e seus colegas. Como dizia o Gerson (o jogador de futebol) no “reclame” de uma marca de cigarros, “o brasileiro gosta de levar vantagem em tudo”. Tá no DNA da negrada e os esforços no sentido contrário se diluem na porta da sessão eleitoral onde se encontra o último corruptor entregando chapas. O pior, é que a compra da honestidade de inocentes é um dos crimes mais fáceis de ser camuflado. Acresça-se que o eleitor não vota em quem trabalhou para o bem da sua cidade, porque desconfia que esse tipo de gente é artigo em falta nas prateleiras da mercearia política. E ainda tem o cabo eleitoral, principal agente desse comércio vergonhoso.

Ajuda definitiva.
O município de Itapajé, graças à atuação do deputado Danilo Forte (PSDB), filho da terra, depois de aprovar emendas parlamentares ao orçamento para a o campus da UFC, teve o aval do Conselho Nacional de Educação para a instalação e funcionamento desse notável benefício.

Calote cubano
O governo de Cuba ensaia mais novo calote de US$ 50 milhões em cima do Bndes e Banco do Brasil referente ao empréstimo para as obras do Porto de Mariel, em Havana. Mais uma das bondades do Lula com dinheiro do contribuinte brasileiro, escondidas pelo Haddad no seu discurso de engana trouxa na TV.
Recadinho
Aliás, daqui, quero enviar um pedido ao candidato regra 3 de Lula. – Professor Haddad, fala aí, na tua propaganda, sobre a refinaria que o Lula deu para o Ceará… Dá logo, também, o pontapé inicial da tua enganação que a gente gosta, cara…
Campanha . O PT do Ceará deflagrou ontem, em Fortaleza, a campanha em defesa da chapa Fernando Haddad-Manuela D’Ávila.
Os abestados . É lamentável, mas é também verdadeiro. O PT e seus candidatos consideram o Nordeste, uma reserva de domínio dos seus votos, como se a gente tivesse de ser abestado a vida inteira.
Dá ou desce . Escarnecido e detestado pelos governistas, Temer liberou R$ 100 milhões para a conclusão da transposição no Ceará, por pressão do senador Eunicio Oliveira, que lhe mandou um recado: ou dá ou se lasca…
Insegurança . Autoridades católicas cobram da PMF a extinção definitiva da Feira da Catedral, que permanece naquela praça, além de gerar insegurança para fiéis e turistas.
Dois a menos . Por conta de irregularidades nas documentações apresentadas, o TRE indeferiu dois partidos – PCO e PTC, o que impede todos os seus candidatos de serem votados.
Bandidos à vontade . Segundo o deputado Fernando Hugo, enquanto prevalecer o sistema de “segurança” das agências bancárias, com vigilantes mal armados, os bandidos estarão sempre à vontade.
Presente . O primeiro “presente” de posse do ministro Dias Tóffoli na presidência do STF, foi de servidores federais que tiveram negado o reajuste salarial.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter