domingo, 21 de julho de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Desafio da reforma da previdência é comunicação

Cláudio Humberto

Colunista - Geral

segunda-feira, 11 de fevereiro 2019

Imprimir texto A- A+

Nós não sabemos ainda qual é a nova, mas essa morreubilidade, parte da meta da bancada feminina
Ministro Paulo Guedes (Economia), sobre o fim da velha política no Brasil

Areforma da previdência é consensual, mas até os seus defensores mais exaltados advertem para a necessidade de o Governo caprichar na “comunicação”, até para deixar os parlamentares mais confortáveis na sua defesa. Ocupar os espaços esclarecendo fatos e apontando os privilégios que precisam acabar, também, é muito importante na “guerra” da comunicação, segundo o líder do Partido Novo na Câmara, deputado Marcel van Hatten (RS), que tem mestrado no assunto.

Para ser viável
O desafio do Governo é convencer a população da necessidade de reformar para que, no futuro breve, a Previdência Social não se inviabilize.

Estratégia
O Governo prepara campanha na TV, rádio, jornal e internet explicando que o País precisa reformar a previdência para crescer e não quebrar.

Franco atiradores
Parlamentares de esquerda costumam aproveitar os espaços do “contraditório”, na imprensa, para tentar espalhar o “terror” da reforma.

Maioria absolutíssima
Para ser aprovada, a PEC da reforma precisa de 308 votos dos 513 deputados e de 49 dos 81 senadores. O Governo acha que os tem.

Reunião de trabalho
Além de encontro para fotos diante da lareira, os dois presidentes terão reunião de trabalho na Casa Branca.

Esticada a NY
A visita de Bolsonaro está restrita a Washington, mas há possibilidade de evento em Nova Iorque com empresários brasileiros e americanos.

Visita ao Chile
Após a visita a Washington, Bolsonaro fará um pit-stop em Brasília e segue para outra viagem: visitará Santiago, nos dias 22 e 23 de março.

Sino-brasileiros
O discurso de governistas contra a China, nosso grande parceiro comercial, deixa à beira de um ataque de nervos muitos brasileiros que, sem conseguir concorrer no Brasil contra chineses, montaram seus negócios por lá e hoje exportam seus produtos… para o Brasil.
Voz do entulho
O deputado Kim Kataguiri (DEM-SP), convicto liberal, tem horror à obrigatoriedade da chapa branca “A Voz do Brasil”, entulho autoritário que sobrevive desde a ditadura Vargas. Vai lutar por sua extinção.

Trabalhar é preciso
O trabalho na Câmara, finalmente, deve começar nesta terça (12) após reunião de líderes às 15 horas. A agenda fala em acordo para dar início às votações às 16 horas. Certas na pauta mesmo, apenas medidas provisórias.

Adiantando o serviço
Líderes partidários ligados à base do Governo acham que o País tem pressa, por isso querem os debates sobre a reforma da previdência ocorrendo simultaneamente no Senado e na Câmara.

Faca na bota
No elevador, Bia Kicis (PS-DF) cumprimentou educadamente a Jandira Feghali (PCdoB-RJ), que respondeu provocando. “Meninas vestem azul!”, disse, referindo-se à cor da roupa da bolsonarista. “Vestem a cor que quiserem”, reagiu Kicis“. Mas não mexam nas nossas crianças!”

R$11 bilhões
O Governo Federal calcula que somente em dezembro foram gastos R$10,9 bilhões apenas com recursos humanos, ou sejam, salários, aposentadorias, pensões. Já em eficiência no setor público, nada.

Tempos sombrios
O chanceler brasileiro Ernesto Araújo fez alerta para as consequências da manutenção de Nicolás Maduro no comando da Venezuela. “Se a esquerda conseguir a perpetuação da tirania, o que não conseguirá?”

Imperdível
Estreia nesta terça (12), no Centro Cultural Banco do Brasil, em Brasília, a Mostra Scorsese. São 33 documentários, longas e curtas do diretor Martin Scorsese, um dos mais brilhantes cineastas da História.

Pensando bem…
…o ano de 2019 continua esperando pelo presidente Bolsonaro para finalmente começar.

O ministro gaúcho Tarso Genro (Educação) é conhecido nos meios políticos de sua terra como “o peremptório”. Fica furioso com o apelido, adquirido após declarar “peremptoriamente” que não deixaria a prefeitura de Porto Alegre para concorrer ao Governo estadual.
Concorreu. E perdeu “peremptória” e inapelavelmente.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter