sábado, 16 de fevereiro de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Desigualdade cruel

Rubens Frota

Colunista - Economia

terça-feira, 12 de fevereiro 2019

Imprimir texto A- A+

A população brasileira está envelhecendo rapidamente. Expor os privilégios da Previdência Social faz parte da estratégia do Governo. O objetivo é conseguir o apoio da opinião pública e aprovar, ainda este ano, a reforma do sistema, que vem acumulando rombos bilionários. Enquanto um servidor do Legislativo federal se aposenta com um valor médio de R$ 26.823,48, um trabalhador urbano da iniciativa privada (que se aposenta pelo critério de idade – 65 anos para homens e 60 para mulheres) recebe R$ 1.129,31. Ou seja, o funcionário público ganha 23,7 vezes mais quando para de trabalhar. Reflexo dos salários do funcionalismo – muito maiores que a média nacional. Se a aposentadoria via INSS for por tempo de contribuição (35 anos para homens e 30 para mulheres), o valor médio é um pouco maior: R$ 2.246,06, mas ainda bem inferior ao recebido pelos funcionários do Legislativo. O mesmo ocorre em outros poderes e esferas da gestão pública: quem se aposenta no Judiciário, recebe, em média, R$ 18.065,40; no Ministério Público Federal, R$ 14.656,32; e no Executivo, R$ 8.477,59. Os números do INSS são referentes a novembro de 2018 e constam do Boletim Estatístico de Previdência Social.

Massa
As transferências de renda, que incluem aposentadorias e benefícios assistenciais, representam, hoje 25,5%, da massa de renda no Brasil. Se por um lado esse é um colchão de recursos importante para sustentar o consumo das famílias em tempos de crise, por outro revela o grau de dependência, cada vez maior, dos brasileiros em relação ao dinheiro bancado pelo Governo. Enquanto isso, os salários do trabalho respondem por 74,5% da massa de renda, fatia que vem caindo nos últimos anos.
Transferências
Em 2003, as transferências de renda eram 21,1% dos rendimentos dos brasileiros. Em 1997, a fatia era ainda menor de 12,7%. A criação e expansão de programas, como o Bolsa Família, e a política de valorização do salário mínimo contribuíram para esse ganho de participação na chamada “massa salarial ampliada”. No orçamento federal, por sua vez, essa maior transferência de renda se traduz em gastos crescentes.
Renda
A IFI identificou que quase metade das transferências de renda têm sua dinâmica afetada diretamente pela política de salário mínimo em vigor. Isso porque 7,8% da massa é composta por benefícios previdenciários de até um salário mínimo, e outro 1,7% corresponde ao chamado benefício de prestação continuada, pago a idosos e pessoas com deficiência de baixa renda.
Patrimônio
Os brasileiros do segmento de renda mais alta (private banking) – aqueles com pelo menos R$ 3 milhões investidos – somaram 121 mil em 2018, e fecharam o ano com um patrimônio total de R$ 966 bilhões. Os dados são da Anbima – a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais. O número de contas neste segmento representa um aumento de 2,5% – ou mais 4 mil clientes ativos – em relação a 2017. A medição exclui os investimentos em previdência.
Investimentos
No total, o volume aplicado em investimentos no ano passado somou R$ 2,7 bilhões (ou 77 milhões de contas), um acréscimo de 9%, incluindo os clientes de varejo tradicional e alta renda, além do private banking. O total aplicado por clientes do varejo tradicional (geralmente, com renda abaixo de R$ 1 milhão) chegou a R$ 958 bilhões no ano passado, alcançando 70,5 milhões de contas, ao passo que os clientes de alta renda (entre R$ 1 milhão e R$ 3 milhões) aplicaram R$ 872 bilhões, chegando a 6,4 milhões de contas ativas.
Atividades
Aulas de dança, corte de cabelo, massoterapia, limpeza de pele e design de sobrancelha. Essas são algumas das atividades que fazem parte da programação da “A gente cuida de você”, ação que o Pinheiro Supermercado promove com seus colaboradores.

Atividades II
No dia 9 de fevereiro, as atividades foram promovidas no centro de treinamento das unidades da Washington Soares, Maraponga e PanAmericano, com dança de salão nas duas primeiras lojas e corte de cabelo na última. No dia 14, será a oportunidade para colaboradores da Administração do Pinheiro Supermercado aproveitarem sessões de massoterapia, de 8 horas às 13 hora. Já no dia 16, haverá corte de cabelo na loja de Messejana (10 hora às 15 hora) e designer de sobrancelha (10 hora às 15 hora) na unidade do bairro Mondubim. Fechando a programação do mês de fevereiro, será realizado corte de cabelo para funcionários do Centro de Distribuição e Setor de Gastronomia.

Atividades III
“A iniciativa já tem três anos e é realizada mensalmente como uma forma de valorizar e de cuidar dos nossos colaboradores, entendendo que o bem-estar deles reflete no bom atendimento clientes e no crescimento do negócio”, avalia a diretora de Desenvolvimento Humano da rede, Xênia Pinheiro.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter