sexta-feira, 20 de setembro de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Do mesmo torrão, mas divergentes

Fernando Maia

Colunista - Política

quinta-feira, 22 de agosto 2019

Imprimir texto A- A+

 

A discussão da reforma da Previdência, no Senado Federal, está tendo dois senadores do Ceará em desacordo. Tasso Jereissati (PSDB) e Cid Gomes (PDT), sendo o primeiro o relator da importante matéria. O problema é que ambos terminaram revelando posições divergentes, o que é preocupante em se tratando de matéria de tanta importância e urgência para a economia do País. Cid Gomes, príncipe da oposição ao Planalto, defende que estados e municípios sejam incluídos no projeto original, aprovado pela Câmara dos Deputados, para corrigir distorções. Parece mais certo. Mas, se isso vier a ocorrer, a reforma terá de retornar à Câmara, retardando a aprovação final. O senador Tasso, tendo se revelado, desde o início, a favor da inclusão de estados e municípios, quer a reforma tramitando em forma de PEC paralela o que, segundo ele, não traria nenhuma perda. Para Cid, essa tramitação não carece de ser apressada, face a problemas que a envolvem. Nesse ritmo, de um líder se opondo a outro, falece o princípio da coincidência, necessário para que a reforma seja equacionada e posta em prática, o que seria melhor para o Brasil e para os brasileiros, tendo em vista o volume de problema que se permitiu que fossem acumulados.

Santa Casa e a Cagece. Há algumas décadas, foi a Coelce, então fornecedora de energia para a Capital, que incluiu em suas contas contribuições voluntárias para a Santa Casa de Misericórdia. Agora, quem oferece valiosa ajuda para a obra notável do provedor daquele hospital filantrópico é a Cagece, que já firmou parceria com a instituição do incansável e dedicado Luís Marques.

Privatizações. O ministro Paulo Guedes quer privatizar, até o final do ano, 17 empresas estatais que só causam perdas à Nação. Entre elas, estão BR Distribuidora, Eletrobras, Telebras e Correios. A Petrobras escapou no apagar das luzes. Mas, se era para levar a canalha da política, não faria falta.
Viés proibido. Na AL-CE, protestos contra o Ministério da Educação, ao proibir a realização da I Semana dos Direitos Humanos, evento que leva o nome de Dandara dos Santos, travesti martirizado por vândalos. Seu Dandara, ou dona Dandara, não teve, até hoje, condenados os seus assassinos.
Dia do Soldado. Ontem, no Plenário da AL-CE, sessão solene em homenagem ao Dia do Soldado, com o comparecimento do comando e oficiais da 10ª Região Militar. A data é 25 de agosto, nascimento de Luís Alves de Lima e Silva, o Duque de Caxias, e Manuel Duca é o mais patriótico dos nossos deputados.
Dedicação. Salmito Filho tem estima pessoal pela Serra da Ibiapaba, cuja potencialidade econômica e turística é, hoje, uma das grandes realidades do nosso estado. Ele surge como uma grande liderança daquela região. Sua família é de São Benedito.
Agravante. A indignação de deputados com a nomeação do novo reitor da UFC atingiu níveis de revolta na Assembleia, ontem. A eliminação do professor Custodio, por ser petista, é desmentida pelo deputado Elmano de Freitas, que desconhece qualquer militância dele ou de alguém do seu grupo no partido da estrela vermelha.
Rei de espadas. Ficou claro, e muito claro, que o professor Cândido Albuquerque tem que corrigir a rota do seu postulado acadêmico, se quiser boa convivência com o parlamento estadual. Tem a sua competência jurídica reconhecida, mas admiração não existe e as críticas são pesadas: prepotente, besta e metido a rei de espadas.
Merreca. Quem acompanhou a 34ª edição da Campanha Criança Esperança, ficou surpreso com a arrecadação da TV Globo: 300 milhões em 34 anos. Uma merreca para o potencial da Vênus Platinada que arrecada isso numa semana de bom faturamento.

“Se comprar voto com dinheiro limpo já é crime, o que se poderá dizer dessa compra com dinheiro sujo”. Ministra Cármen Lúcia, do STF.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter