sábado, 17 de agosto de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Escaramuças entre amigos

Fernando Maia

Colunista - Política

terça-feira, 21 de maio 2019

Imprimir texto A- A+

Dificuldades específicas e contradições no exame dos problemas, no âmbito da cidade de Fortaleza, estão provocando desentendimentos entre vereadores sobre áreas de atuação. Esse desentendimento é movido pela queixa permanente que surge no momento em que as lideranças de bairros estão buscando identidade política. Por identidade, entenda-se a escolha do representante do bairro, ou seja, do vereador que terá a responsabilidade de atender as demandas da comuna. É nessa hora que os conflitos se acentuam, gerando brigas por espaços, em função de compromissos não atendidos começando a influenciar a crença de que a livre manifestação das urnas nem sempre é o melhor veículo para se escolher um vereador. Esses fatos devem provocar mudanças nos quadros partidários, podendo resultar em uma reforma na estrutura dos apoiadores do prefeito Roberto Cláudio, que tem se empenhado, ultimamente, em não atendê-los, voltado para a recuperação dos estragos provocados pelas chuvas.

“Prever para não prover”.Entregue, ontem, pela Câmara Municipal de Fortaleza programa e, em solenidade as 17 horas, no Centro Cultural Belchior, com o lançamento do selo Amigo da Criança e do m parceria com a sociedade civil contra a exploração sexual de crianças e adolescentes. Trata-se de uma iniciativa pessoal do vereador Antônio Henrique, presidente da casa, dentro da sua estratégia de “prever para não prover”, antecipando-se ao descaminho da juventude na periferia de Fortaleza.

Pão com mortadela. Onde já se viu presidente da República chamar ativistas para ir as ruas defender o Governo contra medidas antissociais? Jair Bolsonaro está convocando o povo para um “distúrbio” social dessa natureza, no próximo domingo, para apoiar cortes na educação do seu governo. Não fala se a “cumpanheirada” dele terá direito a pão com mortadela como nas concentrações da turma de outro ABC. O do sindicalismo paulista.

Protesto. Bolsonaro faz lembrar os Caras Pintadas, de Fernando Collor, convocados pelo presidente para apoiá-lo com manifestação pública, que terminou virando um protesto contra ele próprio.

Cidadania para Damaris. Damaris vem aí com missão diferente. A mais polêmica ministra do governo Bolsonaro será homenageada com o título de cidadã cearense, por proposição da deputada Doutora Silvana. Com melhor aceitação do que aparentava ser inicialmente, a homenagem permite a constatação de que o Ceará, pelos seus representantes, concorda com a sua posição sobre homofobia e suas anomalias.

Paz com novas lideranças. O PSDB do Ceará está em paz, como sempre esteve, sem que ninguém ouse interromper o sossego do senador Tasso Jereissati. Francini Guedes deixou a presidência, contentando as principais lideranças. Luís Pontes, na presidência da executiva estadual; Carlos Matos, executiva municipal, e Raimundo Gomes de Matos, com a função mais importante: a de formar novos quadros, coisa que Tasso nunca se interessou em fazer.

Convocação. Homenageado em Groaíras, na última sexta-feira, o ex-deputado Moesio Loiola. Atual prefeito de Campos Sales, no Cariri seco, está sendo insistentemente convocado por antigos colégios eleitorais que querem o seu retorno à Assembleia Legislativa.

Ruptura. Dificuldade para a gestão Carlomano Marques, na vizinha cidade de Pacatuba. O vice-prefeito, Alexandre Portela, não está mais no grupo do prefeito. Rompeu, em caráter definitivo, a aliança vitoriosa do último pleito e deve deixar o PMDB para formar a sua própria corrente política em outra agremiação de raiz diferente da que se encontrava, e que foi causa da separação. Alexandre é considerado a mais expressiva liderança da renovação política daquele município.

No Canadá. Deputado José Sarto, presidente da Assembleia Legislativa, foi ao Canadá, onde permanecerá até o final desta semana, em viagem de interesse particular. Que não se especule com má-fé. Deslocamento de ida e volta com estadia pagos com recursos próprios.

Derramando magoas. Em entrevista à revista Veja desta semana, nas páginas amarelas, o ex-ministro Gustavo Bebiano, da Secretaria Geral Presidência da República, revela a sua versão sobre os fatos que o afastaram do presidente Bolsonaro, de quem era amigo pessoal. É bom ver.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter