27 C°

sábado, 21 de outubro de 2017.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Hora de orar muito

Julieta Brontee

Colunista - + SUPLEMENTOS

sexta-feira, 06 de outubro 2017

Imprimir texto A- A+

O povo brasileiro, que se autoproclama o mais católico do mundo, jamais precisou tanto da ajuda Divina. Ler nos jornais, ouvir pelas emissoras de Rádio, ou assistir os noticiários televisivos virou uma tortura para os olhos, ouvidos e alma. Não existe no Planeta nenhum país, por pobre, pequeno ou mal-governado que seja nas condições em que se encontra o Brasil. Somos hoje, no Ocidente, um caso único em que os três Poderes Constituídos se acham às tontas, desentrosados e sem condições de tirar o país do caos político e econômico em que se encontra. Isso só tem ocorrido em republiquetas mais anárquicas.
Mesmo os grandes analistas mais otimistas começam a demonstrar desconfiança de que começamos a ficar sem saída. Não é nada animador ver-se um presidente totalmente perdido, apoiado apenas por uma patota de deputados e senadores corruptos, e quase zerado em termos de apoio popular. Do mesmo modo, é constrangedor ver, ao mesmo tempo, um amontoado de deputados cuja reeleição vai depender apenas de vergonhosos escambos de votos contra o processo do presidente, por recursos tirados do povo brasileiro. Nunca se viu um tão vergonhoso espetáculo de “abraço de afogados”.
O pior, entretanto, é que, quando mais se esperava do Poder Judiciário, esperança última de qualquer sociedade, mais o STF, mesmo composto por luminares das leis sente o abalo gerado pelo festival de corrupção que assola o país. É sintomático uma Corte Suprema, a última instância para uma população, hesitar diante do dever de punir com a severidade que merecem os trapalhões da república, e ainda sofrendo ameaças de um Senado enfraquecido. A população espera que, sob o comando da grande ministra Cármen Lúcia, o STF faça valer a força de que é possuidor. Então, oremos. E muito!

POUCOS ENTENDERAM – Pouca gente entendeu a maneira como o empresário Alexandre Pereira, vice-presidente legitimamente eleito 1º vice-presidente da Federação das Indústrias do Ceará – FIEC está sendo impedido de assumir a presidência diante da inesperada saída do presidente Beto Studart, que, por sinal, tem uma grande atuação à frente da Casa da Indústria. Pereira é, além de empresário vitorioso do setor de panificação, dirigente partidário, presidindo o PPS-CE.

VAMOS ACREDITAR – O povo cearense, ainda “ressacado” do tremendo e vergonhoso calote que lhe foi imposto pelos presidentes Lula e Dilma com seus asseclas, no caso da “refinaria fantasma”, não perdeu a fé, e ainda acredita que poderemos ter esse equipamento, com o que praticamente estaria salva a economia do Estado. Isso por conta das negociações, já bastante avançadas do governador Camilo Santana com grandes empresas chinesas que, segundo Camilo demonstram interesse por esse projeto bilionário.

CAPACITAÇÃO – Na Câmara Municipal de Fortaleza foi aprovada, pela unanimidade dos vereadores, a implantação do Programa Municipal de Capacitação Profissional para Pessoas com idade acima de 45 anos, e que se acham em condições de trabalhar. Com esse programa, dezenas de milhares de pessoas nessas condições deverão ser aproveitadas, não só por empresas locais e nacionais, mas também por empresas estrangeiras que aqui, têm-se ressentido da falta de profissionais devidamente qualificados.

MUITO MELHOR – Pelas informações vindas “lá de cima”, o ex-presidente Lula da Silva, cada vez mais “espremido” por denúncias de trapalhadas sem fim, começa a se preparar para o caso de não poder se candidatar à presidência. Nesse sentido, já recomenda ao ex-prefeito de São Paulo, Haddad, a iniciar longa série de palestras país a fora, na condição de possível “plano B”. O problema é a colocação ainda inexpressiva deste. Que figura ao lado de Ciro Gomes entre os herdeiros dos votos de Lula.

JOGO PESADO – O senador Tasso Jereissati, a quem está cabendo a presidência interina do PSDB, continua mostrando clara disposição para dar uma boa “arrumada” interna no partido, antes de passar o comento ao futuro presidente. Para começo de conversa cancelou contrato mantido pelo partido com empresa de publicidade responsável pela divulgação das movimentações partidárias. Com isso, o senador e ex-presidente do partido, Aécio Neves, perde o seu último ponto de apoio junto à imprensa.

outros destaques >>

Facebook

Twitter