domingo, 16 de dezembro de 2018.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Lixo plástico

Rubens Frota

Colunista - Economia

quarta-feira, 10 de outubro 2018

Imprimir texto A- A+

As empresas de bebida Coca-Cola, PepsiCo e Nestlé são as maiores produtoras de lixo plástico do mundo, revelou relatório do grupo ambientalista Greenpeace ontem. Trabalhando com o movimento Break Free From Plastic, o Greenpeace disse ter organizado 239 coletas de plástico em 42 países por todo o mundo, que resultaram na análise de 187 mil peças de lixo plástico. O objetivo era ter uma ideia de como grandes corporações contribuem para o problema da poluição. A Coca-Cola, maior produtora de refrigerantes do mundo, foi também a maior produtora de lixo, disse o Greenpeace, que encontrou lixo plástico com a marca da Coca em 40 dos 42 países analisados. No geral, o tipo mais comum de plástico encontrado foi o poliestireno, que é utilizado em embalagens e copos de café, seguido pelo PET, usado em garrafas e recipientes. Todas as três companhias assumiram compromissos sobre suas embalagens para 2025. A Coca disse que todas as suas embalagens serão recicláveis, a Nestlé disse que as suas serão recicláveis ou reutilizáveis e a PepsiCo disse que suas embalagens serão recicláveis, compostáveis e biodegradáveis.

Exportações do Ceará
As exportações do Ceará somaram US$ 133.747.908 em setembro de 2018, queda de 7,6% na comparação com agosto deste ano e baixa de 26,6% em relação a igual período de 2017. Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.
De acordo com o estudo, o número de setembro, as vendas ao exterior por negócios no Estado totalizam US$ 1.550.892.657 no ano, dado que revela um deficit de US$ 439,3 bilhões, considerando US$ 1.990.206.087 em importações no período. Em setembro, as importações pelos portos do Estado somaram US$ 190.636.656, montante que representa queda de 14,1% na comparação com os produtos adquiridos de outros países em agosto. Já em relação a igual período de 2017, as importações caíram 11%.

Grandes jornadas
Longas jornadas de trabalho aumentam os riscos de acidentes, os níveis de estresse e provocam até dor física. Mas o grande problema é que muitas pessoas simplesmente não podem evitá-las. De acordo com as últimas estatísticas da Organização Internacional do Trabalho, mais de 400 milhões de pessoas trabalham 49 ou mais horas por semana, uma proporção considerável do quase 1,8 bilhão de trabalhadores em todo o mundo.

Trabalhando demais
Trabalhar por muitas horas e finais de semanas se tornou uma marca da cultura de startups do Vale do Silício – e tem se espalhado por várias partes do mundo. O problema é que a cultura de longas jornadas não significa, necessariamente, ser mais produtivo, ou no mínimo estabelece um preço alto para se atingir esse objetivo. Há muitas evidências de que trabalhar demais reduz a produtividade, além de fazer com que a pessoa se sinta – e às vezes de fato esteja – menos saudável. Esse estilo de vida aumenta as chances de desenvolver várias doenças.

Excesso que adoece
Ainda assim, milhões de trabalhadores parecem incapazes de se voltar contra isso, desde médicos a trabalhadores temporários e freelancers. E o que acontece, então? Pode parecer óbvio: uma pessoa que trabalha em excesso fica cansada e, portanto, mais propensa a sofrer um acidente no trabalho.

Mais motos
A produção de motos no Brasil subiu 5,2% em setembro, em relação ao mesmo mês do ano passado, segundo a associação dos fabricantes, a Abraciclo. De acordo com a entidade, 80.690 motos foram produzidas em setembro de 2018, contra 76.668 unidades no mesmo mês de 2017.
Dados do Sebrae mostram que 95% do total de empresas no País é representado por micro e pequenos negócios, e uma pesquisa realizada pela Mastercard identificou que os principais desafios dessas empresas são o controle das despesas, a gestão do fluxo de caixa e o acesso a suporte e serviços relevantes.

Lançamento
Com o objetivo de proporcionar uma solução completa e adequada às necessidades desses empresários, que são responsáveis por 27% do PIB nacional, a Porto Seguro Cartões lançou nessa semana o Cartão de Crédito Porto Seguro Empresarial, produto que traz benefícios exclusivos para facilitar a gestão financeira do negócio.

Lançamento II
Primeiro do mercado a ofertar a solução completa da Mastercard, o novo cartão de crédito da Porto Seguro permitirá que os empreendedores separem os gastos da sua empresa dos pessoais, e deem autonomia de compra às áreas que precisam, mantendo o controle de todas despesas. “Misturar os gastos da empresa com as despesas pessoais é um dos erros mais comuns nos pequenos negócios, e isso acaba comprometendo a gestão do caixa”, afirma Marcos Loução, diretor da Porto Seguro Cartões.

Lançamento III
O Cartão de Crédito Porto Seguro Empresarial, disponível nas modalidades ‘International’ ou ‘Platinum’ da bandeira Mastercard, oferece diversas facilidades, dentre elas um Programa de Relacionamento completo e integrado com o do Cartão de Crédito Porto Seguro pessoa física. O gestor da conta poderá juntar os pontos acumulados com os dois cartões, e aproveitar os diversos descontos e benefícios do programa.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter