sexta-feira, 20 de julho de 2018.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

MPT exige de novela diversidade que não pratica

Cláudio Humberto

Colunista - Geral

quarta-feira, 16 de maio 2018

Imprimir texto A- A+

O Brasil cresce e nossa
esperança cresce junto
Presidente Michel Temer, em seu discurso para comemorar os dois anos de governo

Opróprio Ministério Público do Trabalho (MPT) não pratica a política que, em nome da diversidade racial, impõe à TV Globo sob pena de a empresa responder a ação judicial. O MPT notificou a emissora para contratar mais atores negros para uma novela que nem havia sequer estreado, mas não faz o mesmo: no MPT, são negros apenas nove dos seus 776 integrantes. Algo como 1,16% do total de procuradores.

Faça o que eu digo
A assessoria do MP do Trabalho confirmou que existem apenas seis mulheres e três homens negros procuradores. 71,26% são brancos.

No geral, apenas 2%
Estudo das universidades Cândido Mendes, UFRJ e UFMG revela que, até 2016, eram negros apenas 2% dos integrantes do MP da União.

Maioria branca
O Centro de Estudos de Segurança e Cidadania da Cândido Mendes conclui: a maioria do MP é de homens brancos, com pais universitários.

Mulheres são minoria
As mulheres representam de 51% da população, mas, no Ministério Público, não passam de 30% do total, segundo o levantamento.

Multiplicou por cinco
O custo da campanha da bancada de 513 deputados federais cresceu cinco vezes: foi de R$ 252 milhões em 2006 para R$ 1,3 bilhão este ano.

História vai mudar
Centro de três operações da PF, a JBS foi a maior doadora da Câmara em 2014: 177 deputados dividiram (oficialmente) R$ 53,4 milhões.

Bilhão nos estados
Serão eleitos 1.024 deputados estaduais em outubro, a custo máximo de R$ 1 milhão cada. Só os eleitos custarão mais de R$ 1 bilhão.

Elogios valiosos
Em conversas informais, o ministro Luís Roberto Barroso tem elogiado o desempenho de dois personagens do governo Temer: os presidentes do Banco Central, Ilan Goldfajn, e da Petrobras, Pedro Parente.

Minha diária, minha vida
Dinheiro saindo pelo ralo é coisa que não se vê: somente em 2018, o Governo pagou diárias a 63.377 servidores. Foram R$ 89 milhões para a turma viajar e se hospedar por nossa conta, no Brasil e no exterior.

O choro é livre
O primeiro ex-presidente brasileiro condenado por corrupção cumpre pena por corrupção há mais de um mês. Não é nada, não é nada, não é nada, mesmo: seu amigão, Sérgio Cabral, está preso há 18 meses.

Desinteresse contagiante
Pesquisa CNT/MDA avaliou o grau de foco do brasileiro na Copa do Mundo da Rússia: 42% dizem não ter interesse nenhum e outros 30,7% estão “pouco interessados”. Desinteresse maior só pela eleição.

Eleição e segurança pública
O Monitor de Temas FGV/DAPP, que monitora o Twitter, identificou a Eleição 2018 como o segundo tema mais comentado desde o dia 8, no Brasil. Mas, segurança pública, ainda, é o tema mais comentado na rede.

Acefalia
Continua vaga, no Ministério dos Direitos Humanos, a Coordenação de Direito à Memória e Verdade e Apoio à Comissão sobre Mortos e Desaparecidos. Mesmo após a revelação da CIA de que assassinar covardemente os opositores era uma política de governo, na ditadura.

Lava Jato
A Lava Jato é, de longe, no Twitter, o tema mais associado ao debate sobre a corrupção no Brasil. É o que mostra levantamento da FGV/DAPP, levando em consideração 62.458 tweets.

Já foi melhor
A Odebrecht já foi a maior empreiteira brasileira, bajulada pelos políticos. Mas depois da Lava Jato, no Congresso Nacional, só se vê Odebrecht na marca do cafezinho em (algumas) lideranças da Câmara.

Pergunta na escola
Agora que tem lei proibindo, acabou mesmo o bullying no Brasil?

Em reunião da executiva do DEM (ex-PFL) em 2002, o então prefeito do Rio de Janeiro, César Maia, fez um discurso imaginando maneiras de continuar governista, aderindo ao governo do PT, recém-eleito. “Se o PT aderir às ideias pefelistas, nós poderemos aderir ao governo Lula”, disse. Na terceira vez que o prefeito usou a palavra “aderir”, ACM corrigiu:
– Não diga aderir, diga “coincidir”.
A gargalhada foi geral. Mas não houve adesão, tampouco coincidência.

outros destaques >>

Facebook

Twitter