29 C°

segunda-feira, 23 de outubro de 2017.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

O Brasil está uma “Babilônia”

Solange Palhano

Colunista - + CADERNOS

sexta-feira, 09 de junho 2017

Imprimir texto A- A+

Com base em parecer técnico da Secretaria de Educação Básica (SEB), o ministro da Educação, Mendonça Filho, decidiu recolher os 93 mil exemplares do livro “Enquanto o Sono Não Vem”, distribuídos pelo Programa de Alfabetização na Idade Certa (Pnaic) para alunos de primeiro, segundo e terceiro anos do ensino fundamental das escolas públicas. A decisão é respaldada em parecer técnico da Secretaria de Educação Básica do MEC (SEB), que considera a obra não adequada para crianças de sete a oito anos do ensino fundamental, pela abordagem do tema incesto. “As crianças no ciclo de alfabetização, por serem leitores em formação e com vivências limitadas, ainda não adquiriram autonomia, maturidade e senso crítico para problematizar determinados temas com alta densidade, como é o caso da história em questão.
A iniciativa do Ministro foi provocada pelo questionamento de pais e professores de todo o país em virtude do conteúdo do livro. Apesar de incesto ser uma prática abominável, inaceitável, execrável, no Brasil não é crime. Configura-se crime só quando a prática do ato sexual é feita com menor de 14 anos, ou quando há o constrangimento de violência ou ameaça, para a realização do ato na vítima acima de 14 anos. Estes fatos configuram, respectivamente o crime de estupro vulnerável. Então não é a relação incestuosa que caracteriza o crime. No primeiro caso decorre por causa da menor idade da vítima, e no segundo o fato de haver uma relação sexual não consentida.

O livro “Enquanto o Sono Não Vem” foi selecionado no processo PNLD/PNAIC em 2014, na gestão Dilma Rousseff, aprovado pelo Centro de Alfabetização, Leitura e Escrita da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais, instituição de notório saber e referência nas áreas de alfabetização e literatura no País. Isto é um absurdo. Quais são os valores comportamentais adotados pelos integrantes desta equipe que avaliaram esta obra e a aprovaram para ser adotada nas escolas públicas brasileiras. A análise técnica feita pela secretária do MEC também é inadmissível quando não reprovam o conteúdo e sim a idade para leitura que não é conveniente por falta de maturidade.
É triste, termos a convicção que o nosso país hoje está uma “babilônia “.
Por não está mais suportaaaaaando os atuais acontecimentos do Brasil e não conseguir ficar alheia a eles vou tirar umas férias de um mês, viajar para fortalecer-me e depois retornar a pátria que tanto amo.

ROLANDO NA INTERNET.
PODE SER QUE ESTA SEJA A EXPLICAÇÃO DA EXISTÊNCIA DE TANTA LOUCURA NO PLANETA

“Cheguei à conclusão que a origem de nossas neuroses está em nossos heróis da infância, que foram os exemplos que tivemos:” (Autor desconhecido).

*Cinderela*: só chegava em casa à meia-noite e sem um sapato… Muito doida!

*João e Maria*: foram abandonados pelos pais *na floresta*

*Chapeuzinho Vermelho*: andava sozinha pela floresta e falava com lobo mau. Sua velha avó morava sozinha em uma cabana na floresta.

*Tarzan*: corria pelado na selva e morava, literalmente, com uma macaca…

*Aladim*: era um ladrão vagabundo que só ficou “cheio da grana” porque achou o gênio da lâmpada… (?!)

*Batman*: dirigia a 320 km/h.

*Salsicha*: via fantasmas e conversava com um cachorro (Freud ia amar isso!!).

*Zé Colméia e Catatau*: eram cleptomaníacos, pois roubavam cestas de picnic…

*Pinocchio*: era mentiroso pra cacete!

*Bela Adormecida*: não trabalhava e só queria saber de dormir…

*Branca de Neve*: “a santinha” morava, numa boa, com 7 homens (todos menores!)

*Olívia Palito*: anoréxica e ninguém falava nada.

*Popeye*: o primeiro a “se bombar” numa Academia, se empanturrar de energético em lata e ainda fumava um matinho bem suspeito!

*Super Homem*: doidão, via através das paredes, voava mais rápido que um avião e colocava a cueca por cima da calça.

*Tio Patinhas*: sovina, não abria a mão, nem para jogar peteca.

*Margarida*: dizia que namorava o Pato Donald, mas também saía com o Gastão.

Caramba!!! Como querem que sejamos normais???

outros destaques >>

Facebook

Twitter