domingo, 18 de novembro de 2018.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

O dia foi ontem, mas vale pro ano inteiro

Macário Batista

Colunista - Política

sexta-feira, 14 de setembro 2018

Imprimir texto A- A+

O Dia Nacional da Cachaça ou simplesmente Dia da Cachaça é celebrado em 13 de setembro. Essa é uma bebida com uma carga simbólica muito grande para a cultura e identidade brasileira. A criação do Dia Nacional da Cachaça foi uma iniciativa do Instituto Brasileiro da Cachaça (Ibrac), instituída em junho de 2009. Ainda existe um projeto de lei do deputado Valdir Colatto e que foi aprovado pela Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados, em outubro de 2010, com o objetivo de oficializar a data. O dia 13 de setembro foi escolhido em homenagem à data em que a cachaça passou a ser oficialmente liberada para a fabricação e venda no Brasil, em 13 de setembro de 1661. Esta legalização, no entanto, só foi possível após uma revolta popular contra as imposições da Coroa portuguesa, conhecida como “Revolta da Cachaça”, ocorrida no Rio de Janeiro. Até então, a Coroa portuguesa impedia a produção da cachaça no país, pois o seu objetivo era substituir a bebida pela bagaceira, uma aguardente típica de Portugal. O Brasil produz aproximadamente 1,2 bilhão de litros de cachaça por ano e o maior produtor de cachaça no Brasil industrial é o estado de São Paulo, seguido de Pernambuco, Ceará, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Paraíba. Por sua vez, Minas e Rio lideram a produção de cachaça artesanal. A cachaça brasileira é exportada para mais de 60 países, sendo a Alemanha responsável por aproximadamente 30% da sua importação. A cachaça tem em média 40% de teor alcoólico e, atualmente, é definida como um produto cultural brasileiro. A bebida tem vários sinônimos e alguns deles bastante curiosos como mata-bicho, branquinha, parati, bicha, “água que passarinho não bebe”, marvada, veneno, boa etc. Conto-lhes essa rápida história da cachaça porque hoje é sexta feira…

Ferro na boneca
Choveu pouco e o Operador Nacional do Sistema decidiu deixar as térmicas fósseis ligadas para guardar água nos reservatórios. As operadoras das hidrelétricas geraram menos e tiveram de comprar energia no mercado spot para cumprir contratos. A conta nos 12 meses até julho somava R$ 20 bilhões, que serão repassados aos consumidores já nos próximos reajustes tarifários. Além disso, o custo das térmicas é maior do que o coberto pelo adicional pago via Bandeira Vermelha nível 2, o que acrescentará outros R$ 5 bi nas contas de luz. Na foto, a termo do Pecém, inaugurada pela Luma.

Era esperado
O vice de Jair Bolsonaro, general Hamilton Mourão, anda com artilharia pesada debaixo do braço. Segundo o site O Antagonista, o militar tem um dossiê com dados da inteligência militar sobre cada um dos pontos fracos de cada candidato.

Era esperado II
Da série ‘Candidatas à Frase do Ano’: “Se querem usar a violência, os profissionais da violência somos nós”. (General Hamilton Mourão, candidato a vice-presidente na chapa de Jair Bolsonaro, à revista Crusoé).

Calou fundo
Gony Arruda não será candidato à reeleição para a Assembleia do Estado. A desistência do deputado bateu nos Arruda a partir de Granja, que não terá um deputado como Gony e o federal Vicente.

Ciro contra a Veja
Os advogados pedem à Justiça o direito de resposta à matéria publicada na revista, cujo conteúdo deveria ser divulgado na edição física, redes sociais e no site da Veja.

Difamação e calúnia
Os autores afirmam que a edição 2599 da revista traz conteúdo “ofensivo e difamatório” contra o candidato pedetista. Ciro é “acusado de participar de um esquema de extorsão”.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter