terça-feira, 16 de julho de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

O fiasco dos partidos

Fernando Maia

Colunista - Política

terça-feira, 25 de junho 2019

Imprimir texto A- A+

 

Desde que os brasileiros sensatos passaram a combater a criação e a legalização de partidos políticos, tem-se tentado encontrar, sem êxito, meios de acabar com tais inutilidades que bagunçam a política brasileira. Entre as alternativas para salvar as quadrilhas desorganizadas do Congresso, uma delas foi a fusão entre siglas. Para isso, teria de haver um mínimo de identidade ideológica entre os grupos supostamente ajustados para não se matarem antes do tempo de serem fundidos. Não é o que tem ocorrido, já que a única “identidade” entre eles é o desejo do poder a qualquer custo. Um exemplo desse fiasco ocorre na Câmara Municipal de Fortaleza depois da fusão do PPL com o PC do B. Na CMFor, transformando essas federação partidária em “Torre de Babel”, tal a falta de entendimento e sintonia que vai terminar matando o PPL. O vereador Ésio Feitosa, líder do prefeito Roberto Cláudio, já ingressou no PDT, o seu colega Gardel Rolim vai no mesmo rumo e a vereadora Larissa poderá migrar para o PSB, já que não será aceita pelo diretório do PT.

Em busca da notoriedade. A pauleira no plenário da Assembléia Legislativa, ao contrário do que defendem pacifistas, terá continuidade depois da entrevista do deputado André Fernandes. Ele não recua do que afirmou, alegando que foi esse comportamento que o elegeu. E declarou, ainda, que nada vai mudar no seu discurso midiático por excelência, e provocador, por carência de notoriedade.

Não abre. Ontem, no Comitê de Imprensa, faleceu a última esperança para encerrar um assunto que só tem trazido desgaste ao Legislativo e constrangimento aos deputados. Todos, a exceção de André Fernandes, querem o fim desse episódio. Nesse todos contra um, o um não abre nem reconhece os seus erros, porque quer continuar se beneficiando da mídia.
Adiamento. Não chegou a surpreender o adiamento de mais um habeas corpus para o ex-presidente Lula da Silva. Segundo a imprensa “lá de cima”, o próprio STF mostra-se cauteloso com a possibilidade de Lula ser posto em liberdade, abrindo caminho para réus de colarinho branco investigados pela Lava-Jato.
Promotorias. A Associação dos Procuradores da Administração Centralizada encontra-se empenhada, no Ceará, em defesa da PEC que pede a implantação de procuradorias municipais em todas as cidades. A falta do Ministério Público prejudica a eficiência da própria Justiça.
Rei morto. César Pinheiro deixa a presidência da Companhia de Docas do Ceará, sendo substituído pela engenheira Mayara Chaves. Cai mais uma indicação do ex-senador Eunício Oliveira. Mayara é formada em Gerenciamento de Produção, pela Fundação Getúlio Vargas.
Mais povo nas ruas. Quando se pensava que estava encerrada a temporada de manifestações públicas, o Movimento Brasil Livre prepara nova ação, para o próximo domingo, em defesa da Lava Jato e do ministro Sérgio Moro. Segundo se apregoa, o reforço deverá vir de um setor que pode parar o País; os caminhoneiros.

“Não há espetáculo mais patético do que um político incompetente e desonesto acusar de incompetência e desonestidade outros políticos”. Governador Manuel de Castro Filho (1912-1995).

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter