quarta-feira, 17 de julho de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

O homem que desafiou o parlamento

Fernando Maia

Colunista - Política

sexta-feira, 21 de junho 2019

Imprimir texto A- A+

O youtuber André Fernandes continua distante de uma reconciliação com os seus colegas deputados. O garoto terrível prossegue na mesma linha de ataques, com resposta atrevida, aos seus críticos. “Se estamos incomodando velhos políticos, é porque estamos no caminho certo”. Apesar da gravidade do momento não lhe move nenhum sentimento de culpa ou prudência para se poupar do que poderá vir do Conselho de Ética. Não é seu propósito contribuir para selar a paz do conturbado ambiente do Poder Legislativo. O pequeno príncipe de Iguatu roubou a cena do deputado, Agenor Neto, o mais polêmico parlamentar do seu território. Nas duas últimas semanas ele tem sido o centro das atenções da política estadual movimentando a imprensa em torno de uma resistência notoriamente desafiadora não só ao deputado Nezinho Farias. A sua insurreição ultrapassa os limites da tolerância, saltando o muro do Legislativo para se transformar em conversa de bar onde é tratado como se fosse o herói de uma nova ordem com esteio na péssima imagem da classe política. Aos partidários de soluções de força, como cassação de mandato, opõem-se defensores de soluções brandas, consideradas mais adequados para encerrar um episódio onde o Poder Legislativo, com o um todo tem a sua imagem ferida. É bom agir rápido. Mais uma semana de manifestações extemporâneas, pode consagrar um incorrigível garoto-problema no homem que desafiou o parlamento.

Sensatez e equilíbrio. Na longa audiência do ministro Moro, um dos bons momentos foi patrocinado pelo senador Cid Gomes. Ele se limitou a um discurso sensato e equilibrado, diferente da costumeira virulência do irmão Ciro em momentos assim. Fez críticas à atuação de Moro como juiz, aproveitando para uma advertência séria sobre a situação do País, afirmando que “a desigualdade e o desemprego é que precisam ser combatidos”.

Eleições preocupam. A maioria dos nossos prefeitos estão preocupados com reeleição ou a eleição de seus sucessores. Embora distantes – mais de 16 meses, eles sofrem com a falta de recursos. O Governo do Estado, de quem esperam grandes projetos para alimentar o “sprint” da corrida eleitoral, sofre os efeitos da crise econômica e financeira.
Ressurreição. Saindo da “ressaca” do pleito de 2018, em que perdeu a vaga do Senado Federal, Eunício Oliveira arregaça as mangas para dar a volta por cima. Na condição de presidente regional do MDB, ele reúne o que sobrou do seu decadente partido, apoiado em num novo lema, que será o lutar pela qualidade de vida dos cearenses.
Batalha . Os governadores do Nordeste, todos de oposição ao presidente Bolsonaro, mais que nunca, continuam unidos em defesa da região. A mais recente frente de batalha é a substituição do PIS, Cofins, ICMS estadual e ISS municipal pelo Imposto sobre Bens e Serviços – IBS. O ponto importante da proposta vai gerar duelo com o Planalto, é a redução gradual da divisão do IBS com o Governo Federal.
Tudo como antes . Como era esperado, o Governo terá de se dobrar à prática do “toma lá dá cá”, se não quiser ver a reforma da Previdência derrotada. A “brincadeira” terá preço alto. Em reunião com as lideranças de partidos, o ministro Lorenzoni confirmou a liberação, até 2020, de R$ 40 milhões para cada deputado que apoiar a matéria.

Sindicatos politiqueiros. Uma das medidas mais acertadas anunciadas para a reforma da previdência tem a ver com o enxame de sindicatos rurais, responsáveis pela grande quantidade de aposentadorias rurais fraudulentas, uma das causas da quebradeira do setor previdenciário do País.

“Um partido político que não zela pela qualidade dos seus filiados é um sabotador da moral política e da democracia”. Virgílio Távora (1919-1988) – Deputado federal, senador e governador do Ceará.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter