terça-feira, 18 de dezembro de 2018.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

O nicho petista

Julieta Brontee

Colunista - + SUPLEMENTOS

sexta-feira, 30 de novembro 2018

Imprimir texto A- A+

Entre quase todos os cronistas políticos do Sul e Sudeste, uma das indagações mais correntes tem sido a respeito das futuras posições e medidas a serem tomadas pelo governo do presidente eleito, Jair Bolsonaro em relação aos nove estados do Nordeste, onde ele foi derrotado em todos por conta de a região ter se transformado num nicho impenetrável do lulopetismo nos últimos seis pleitos presidenciais. Haja vista o que ocorreu este ano, quando nem mesmo um candidato nordestino do porte de Ciro Gomes conseguiu mudar esse panorama de fanatismo em troco praticamente de “esmolas” sociais.
Conforme lembra o jornalista Merval Pereira, do O Globo, a maneira mais acertada com que o futuro presidente poderá agir não será acabar com alguns benefícios sociais destinados às populações menos favorecidas, mas sim, promover a tão cobrada descentralização da distribuição dos recursos para os nove estados e seus 1.990 municípios desta região, onde moram 56,7 milhões de brasileiros. Diante desse novo quadro, entendemos que seria este o momento apropriado para que, depois de tanta luta de deputados como o cearense Danilo Forte, um chefe da Nação, mostre-se propenso a concretizar um novo Pacto Federativo.
Se Bolsonaro desejar mesmo abrir para o seu governo as portas do Nordeste deverá aproveitar a proposta defendida por Danilo em périplo por quase todo o território nacional. Sendo assim, só um novo Pacto Federativo, com mais autonomia financeira para estados e municípios será o antídoto ao petismo e aliados no Nordeste. O caminho, segundo os mais sensatos adversários de Jair Bolsonaro, é que os governadores da região reconheçam a necessidade de não colaborar com sabotadores do futuro governo.

VERGONHA – Na Assembleia Legislativa repercutiu a divulgação de números vergonhosos para todos os brasileiros, ou seja, de que temos 38 milhões de analfabetos funcionais, ou seja, 29% da população. Para o deputado Fernando Hugo (PP), é lastimável ver-se uma Nação do porte do Brasil caminhando para se equiparar aos países mais miseráveis da África e da Ásia no rol mais iletrados.

AGORA PODE SER – O Ceará inteiro torce pelo êxito do recente encontro do novo presidente Jair Bolsonaro com os dirigentes e provedores das dezenas de Santas Casas de Misericórdia, de quem ouviu todo um longo rosário de queixas e de apelos dramáticos no sentido de se evitar até mesmo o fechamento do mais antigo modelo hospitalar do Planeta, salvador de milhões de vidas.

DEPUTADO DE VISÃO – Mesmo não ter sido, infelizmente, eleito para a Assembleia Legislativa, o deputado Carlos Matos (PSDB) permanece contribuindo com oportunas sugestões. Um exemplo é o que se refere à administração dos recursos hídricos do Estado. Para ele, tirar a água das usinas siderúrgicas será com grande erro. O certo, na sua visão, é investir pesado na dessalinização da água do mar, mas por empresas privadas, que é um êxito em Israel.

ENERGIA SEM USO – O estado do Ceará poderá em breve se utilizar de energia limpa e barata, como a energia eólica por conta de políticas eficientes nesse sentido. É o que adverte o dr. Jurandir Picanço, presidente da Câmara Setorial de Energia Eólica. Segundo ele, enquanto o Ceará é o 3º maior produtor dessa energia, podendo beneficiar 26 milhões de residências, apenas 6% dela estão sendo utilizadas. Enquanto isso pagamos caro pelos outros tipos de energia.

BATENDO DURO – Na condição de um dos mais eficientes titulares do Turismo no Ceará, na gestão do governador Lúcio Alcântara, o ex-secretário Allan Aguiar tem sido severo crítico da política dos governadores seguintes, nesse setor. Agora mesmo, ela bate rijo na maneira como o Governo do Ceará tem agido em relação à empresa aérea Air France/KLM. Para ele, os milhões passados àquela companhia fazem com que os vôos estejam custando peso de ouro.

PETISTA MODERADO – Recém-eleito deputado estadual, o vereador Acrísio Sena, que presidiu a Câmara Municipal de Fortaleza, deixa aquela Casa como um dos grandes moderadores, além de se destacar como um petista moderado, diferente de outros fanáticos do nosso Estado. Está programado, para o próximo dia 05, no Plenário da CMF, o lançamento do livro de sua autoria, titulado de “Viver Fortaleza: Cidadania, Política e Direitos Humanos”.

NÃO VAI PARAR – Engana-se redondamente, quem imaginar que o senador Eunício Oliveira, cuja carreira checou ao cume, na presidência do Senado Federal, vai abandonar a atividade política. Nesse sentido, ele já anuncia, para fevereiro, o seu retorno à presidência regional do MDB. Prova disso é que ele acaba de vender a sua parte na Corpus transportadora de valores. Seu objetivo, pelo que se comentava na AL-CE, é a completa reestruturação do MDB cearense.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter