quarta-feira, 17 de julho de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Partidos pega-e-leva

Fernando Maia

Colunista - Política

quarta-feira, 03 de julho 2019

Imprimir texto A- A+

 

Segundo alertava, do alto da sua experiência e sagacidade, Virgílio Távora, pode-se considerar precocemente morto qualquer partido gerado pelo aliciamento de políticos sem ideologia com a sigla que adotam. O resultado da falta de critério tem produzido incontáveis casos de partidos que morrem no nascedouro, sem botar o time em campo. São muitos os exemplos de agremiações nascidas sob o calor da paixão tocada pela improvisação. No interior, os times de futebol de última hora são chamados de “pega-e-leva”. Os resultados são sempre desastrosos. Eles tanto apanham como dão neles. Exemplo mais que atual é o PSL, que, em alguns estados, se acha envolvido em sérios problemas com “candidaturas- laranja”, e que nem o fato de ter tido o seu candidato presidencial vitorioso evitou que agora, como ocorre no Ceará, deputados estejam envolvidos em briga que pode levar à sua destruição, se o comando nacional – se é que este existe – não agir com firmeza. Nessa marcha, o PSL, que fez o presidente da República, será mais um amontoado de gente sem compromisso ideológico a defender, com os seus integrantes optando por um indecoroso e recriminável fisiologismo a caminho da dissolução.

Abraçando a literatura. Depois de trazer asiáticos para visitar Maracanaú, o deputado Roberto Pessoa fez como Cristo. No sétimo dia, parou para descansar e escrever o livro “Ditados Populares – A Verdade do Povo”, em parceria com o “ghostwriter” Erivelto Souza. Não pretende disputar com Gonzaga Mota nem com Lúcio Alcântara o título de melhor escritor da política estadual. Mas, quer relatar o que viu no dia a dia das suas andanças pelo voto.

Problema grave. Está nas mãos do presidente José Sarto colocar o Poder Legislativo em alerta para a defesa de municípios do Ceará, ameaçados pelo Piaui, de perder parte de seus territórios. O problema limítrofe é secular e se os nossos políticos não agirem com firmeza, eles podem perder até 70% de suas áreas incluindo escolas, postos de saúde, comércio e outros itens, além de eleitores.

Burrice politica. É bom lembrar que o Ceará já ficou sem a paradisíaca praia de Luís Correia onde desemboca o Rio Parnaíba, com o seu espetacular e piscoso delta. Esse pedaço do paraíso que a natureza nos deu foi trocado por uma área seca e fedorenta do Piauí, que se chamava Real Grandeza, onde hoje está Crateús, pela burrice dos políticos de então.

Escambo da coisa nossa. O Piauí não tinha mar e deu um jeito de enrolar os abestados do Ceará trocando uma terra miserável e inservível, pelo paraíso do segundo maior e mais belo delta do mundo. Agora, os piauienses querem repetir a dosagem do primeiro escambo, ficando com uma parte da Serra Grande, que dizem ser daquele estado.

De repente, a calmaria. Depois da agitação por conta do menino traquina André Fernandes, de repente, tudo virou calmaria. Parlamentares que ameaçavam levar o colega ao Conselho de Ética pondo em risco o mandato dele, “meteram a viola no saco”. Vai ficar barato, mesmo???

Sem força. A realidade política e econômica desta semana é a situação dos governadores do Nordeste, a se confirmar o voto dos deputados federais do PT, Psol, PDT e PSB, contra a reforma da Previdência. Se acontecer, ficará provado que eles não têm nenhum controle sobre suas bancadas.

Pequenos grandes. As micro e pequenas empresas foram responsáveis pelo maior percentual de empregos. É a confirmação que se repete ao longo dos anos em meio ao desemprego. Por conta, o deputado Salmito Filho quer as bancadas estadual e federal unidas em apoio aos investimentos do BB, CEF e BNB.

Indicou o rumo. O empresário Geraldo Luciano, ex-tucano e agora no Novo, disse o seu rumo começando pela sucessão municipal de Fortaleza. Foi um dos mais inflamados oradores nas manifestações em defesa do ministro Moro e da Reforma da Previdência.

“A defesa da Amazônia, que é crucial para a ecologia mundial, não é obrigação apenas dos brasileiros, mas de todos os que conhecem a importância daquela região para salvar o meio ambiente na Terra”. Papa Francisco.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter