sábado, 23 de março de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Pior que guerras

Fernando Maia

Colunista - Política

quarta-feira, 07 de novembro 2018

Imprimir texto A- A+

 

O estado do Ceará, hoje o terceiro do País em mortes violentas no país, 4 mil, até outubro, vive clima de insegurança para a população como em países onde guerras internas, ações de grupos guerrilheiros e o horror dos genocídios pelo Estado Islâmico. Somem-se a isso as mortes violentas causadas por acidentes de trânsito. Como se nada faltasse para agravar essa situação, piora a cada dia a falta de condições dos hospitais públicos para reduzir esse morticínio. Foi esse o tema abordado ontem, na AL, pelo deputado e médico Heitor Férrer (PSB). Para pessoas em perigo necessitar de UTI nesses hospitais é quase sinônimo de sentença de morte. O problema, conforme acrescenta o deputado Carlos Felipe (PCdoB), é que, além do crescimento da multidão de pessoas em busca de atendimento, que dificilmente recebem da União, a quem cabe, pela Constituição, fornecer aos governadores e prefeitos recursos suficientes para amenizar os problemas desse setor, tem sido omisso, dando preferência a outros setores. Um dos fatores agravantes dessa condição desesperadora, diz Heitor, é que devido à crise econômica, com grande desemprego, cresce o número de pessoas sem condições usar a rede hospitalar privada. A melhora desse setor surge como a maior prioridade para o presidente eleito, Jair Bolsonaro, para salvar milhões de vidas.

O grande nome.
A boa surpresa política de ontem, para cearenses e nordestinos de boa vontade, foi a notícia de que o senador Tasso Jereissati (PSDB) cresce, em Brasília, para a presidência do Senado. Comenta-se que ele é infinitamente melhor que Renan ou alguns nomes do “centrão”.

Uma vergonha!. Servidores da UPA do Canindezinho denunciaram, ao deputado Heitor Férrer que a mesma é fechada, à noite, devido à ação de bandidos, deixando sem atendimento centenas de pessoas.
Homenagem justa. Ontem, em solenidade no auditório da Fiec, o presidente Beto Studart e empresários do setor de confecções foram condecorados com a “Comenda Beni Veras”, que nomina medalha em homenagem àquele que liderou o setor e assumiu com dignidade Senado e o Governo do Estado.
Crescendo. Por conta do agravamento da situação nos hospitais públicos crescem, na AL-CE, os apoios ao projeto propondo a construção, urgente, de um anexo do Hospital Geral de Fortaleza.
Apoio geral. A indicação do juiz Sérgio Moro para o Ministério da Justiça, que causa revolta aos lulapetistas tem, segundo pesquisa realizada no Sul e Sudeste, o apoio de 83% dos pesquisados.
Sem nepotismo. Sem fundamento notícia de que Eudoro Santana, genitor e maior orientador do filho, governador Camilo Santana, faria parte do “staff” desse. Sem nepotismo, ele permanece no Iplanfor.
Melhor para RC. Sobre a permanência de Eudoro no IPLANFOR, quem ganha com isso é o prefeito RC, que tem ao seu lado um grande auxiliar e ponto de união com o Palácio da Abolição.
Sem política. Enquanto adversários e inimigos esbravejam, Moro responde que o Ministério da Justiça é cargo técnico e não político. Para firmar sua posição, ele afirma que jamais disputará qualquer cargo eletivo.
Gratidão. Para o deputado Fernando Hugo (PP) o dia 26, 88º aniversário do Ministério do Trabalho, é dia de o Legislativo estadual prestar grande homenagem ao criador Getúlio Vargas.

“Num país carente de equilíbrio moral, político e econômico, é impatriótico atacar um presidente eleito antes que ele mostre do que é capaz de realizar”. Ministro Luís Fux, do STF.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter