quarta-feira, 19 de junho de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Planos de saúde custam menos que Secretaria

Cláudio Humberto

Colunista - Geral

segunda-feira, 28 de janeiro 2019

Imprimir texto A- A+

Essa conta não pode vir para gente
Vice-presidente, Hamilton Mourão, sobre o rompimento da barragem de Brumadinho

No Distrito Federal, seria mais barato pagar planos de saúde a toda população que manter a atual Secretaria de Saúde, que tem custo anual de R$ 8 bilhões. Dos três milhões de brasilienses, 35% (1.050.000 moradores) já têm planos de saúde e, por isso, dispensam os serviços públicos. O governo de Ibaneis Rocha (MDB) não tem essa intenção, mas, se extinguisse a secretaria, poderia bancar planos de saúde privados aos demais 65% da população. E ainda sobraria dinheiro.

Para eles, tudo bem
Na Secretaria da Saúde do Distrito Federal, os salários não são uma maravilha, mas são os maiores do Pais: consomem 82% do orçamento.

Para o povo, agonia
O novo modelo de gestão prioriza a satisfação do usuário de hospitais, maltratados em filas de até 10 horas, em razão da falta ao trabalho.

Gestão positiva
Implantado no célebre Hospital de Base, o novo modelo quase zerou as filas e reduziu até à metade os gastos com materiais e remédios.

Vitória significativa
Ibaneis Rocha venceu a primeira queda-de-braço contra o setor público, preocupado com perda de regalias e pelegos com perda de influência.

Na nossa conta, sempre
Em 2018, foram 19.905 aposentadorias do serviço público federal. Quase todas (19.179) aposentadorias integrais.

Aposentadoria integral
São 77% os servidores públicos federais que embolsam, durante toda aposentadoria, o valor completo do último salário que recebeu.

Mesma regra no DF
Também, o Governo do Distrito Federal vive a rotina de buscar recursos para pagamento de pessoal. Foram 18 mil aposentadorias em doze anos.

Histórico preguiçoso
O ex-deputado Jean Wyllys (Psol) só emplacou dois projetos nos oito anos de Câmara. Um trata de batizar o mês de dezembro e o outro de batizar um dia para o “Direito à Verdade”. Pior: é só “coautor” das leis.

Médium na parede
O ex-governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, era um dos admiradores de João de Deus: a equipe do novo governo encontrou foto do médium tarado pendurada com destaque em seu gabinete, no Palácio do Buriti.

Despacho
Jair Bolsonaro garantiu ao ex-presidente Fernando Collor que, já nesta terça (29), voltará ao batente, após se submeter a cirurgia, nesta segunda, para retirar a bolsa de colostomia no Hospital Albert Einstein.

Crachá no peito
Ainda que não precisem disso para circular sem restrições no Palácio do Planalto, tanto o porta-voz da Presidência, Rêgo Barros, quanto o vice-presidente, Hamilton Mourão, não dispensam o uso do crachá.

Vagas abertas
Alvos predileto dos críticos ao novo governo, a ministra Damares Alves (Direitos Humanos) é caso raro de autoridade que não recheou seu gabinete com nomeados. Três altos cargos ainda estão vagos.

Racionalização
A fusão das agências nacionais de transporte terrestre e aquaviário (ANTT e Antaq), dividiu servidores. Pesquisa, a pedido do Ministério da Infraestrutura, mostrou que 46% a favor, 31% contra e 23% em dúvida.

Só (muito) milionários
O Citibank nega ter abandonado o Brasil, mas “passou a se concentrar no atendimento a clientes de Corporate and Investment Banking”. Ou seja, só atende agora a minoria da minoria milionária brasileira.

Bate e assopra
O Fundo Monetário Internacional condicionou a boa perspectiva sobre o Brasil à aprovação da reforma da Previdência e equilíbrio das contas públicas. Ainda assim, aumentou a previsão de crescimento em 2019.

Pergunta na polícia
O deputado federal eleito Valdevan 90 trabalhando de tornozeleira eletrônica é desmoralização ou a Justiça adiantando o serviço?

Informado que os nomes “Severino” e “Juvenal” eram finalistas na votação para batizar o jumento que se tornaria mascote de um programa da MTV, o então presidente da Câmara, Severino Cavalcanti, não perdeu a esportiva: Nem essa eleição eu perco.” Acertou: os internautas da MTV deram ao jegue o seu nome.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter