quarta-feira, 26 de junho de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

PSDB entra com pedido de cassação de Genoino

Cláudio Humberto

Colunista - Geral

quinta-feira, 10 de janeiro 2013

Imprimir texto A- A+

• O PSDB vai apresentar ao Conselho de Ética da Câmara pedido de cassação do suplente José Genoino (PT-SP), que tomou posse como deputado federal na última quinta (3). O ex-presidente do PT foi condenado a seis anos e 11 meses de prisão no julgamento do mensalão. Autor do pedido, Domingos Sávio (PSDB-MG) alega que a Casa “não pode premiar com mandato mensaleiros condenados”.

• Alegações – A assessoria jurídica do PSDB conclui as argumentações para pedir a cassação de Genoino, condenado por corrupção e formação quadrilha.

• Casos distintos  – Para Domingos Sávio, o caso Genoino é diferente de Jaqueline Roriz (PMN-DF), absolvida da cassação em Plenário: “Ele já foi condenado”.
• Vai demorar – A Suprema Corte decidiu que os deputados mensaleiros perderão o mandato, mas apenas após o trânsito em julgado na condenação. 

• Embaixo do tapete – José Genoino Neto já consta no site da Câmara como membro da bancada petista. Na biografia, nenhuma referência ao mensalão. 

Populismo pela vida como ela é

• Desde que entrou para a União Europeia, Portugal acreditou que tinha virado país desenvolvido. Seus governos socialistas criaram benefícios populistas de todo tipo, mas pouco se preocuparam com a conta, a diversificação e o aumento da competitividade. O resultado está aí: para sobreviver, o Estado português vende tudo o que ainda tem, como a elétrica EDP para chineses e a aérea TAP para quem der mais.

• Portos e aeroportos – Em Portugal, os aeroportos passarão a concessão privada e deverá ser anunciada a privatização dos estaleiros de Viana do Castelo. 

• RTP privatizada – Para 2013, o governo português prepara a privatização da RTP 1 e 2, canais de sua rede pública de televisão.

• Mudanças radicais – Vão acabar em Portugal mamatas da legislação trabalhista, consulta gratuita na saúde pública, e aumentou a contribuição previdenciária. 

• Só Japão na causa – O vice-presidente Michel Temer recebeu esta semana membros da agência governamental japonesa Jica, para tratar da implementação de  sistema de alertas a desastres em São Paulo e Santa Catarina.

• Cálculo errado – Para Lúcio Vieira Lima (BA), Sandro Mabel (GO) “precisa suar camisa antes de cantar vitória” na disputa para líder do PMDB: “Somadas, as bancadas do Espírito Santo e Paraná não têm o número da do Rio”.  

• Prestígio – As aulas de inglês grátis para prostitutas brasileiras na Copa e provável investigação das denúncias de Valério contra Lula no mensalão foram as notícias mais destacadas do Brasil na imprensa internacional ontem. 

• Estreia – Insatisfeito com 2012, o Brasil abriu a temporada 2013 de assassinatos de jornalistas no continente: dono da Rádio Barra FM, no Rio, Renato Gonçalves foi morto com quatro tiros por motoqueiros ao sair de casa.

• Escolinha do Lula – A presidente Cristina Kirchner (Argentina) mandou a fragata Libertad,  retida em Gana num rolo diplomático, atracar no Brasil por um tempo, para receber o barco com show pirotécnico, diz jornal argentino Clarín. 

• Pra inglês rir – Decidida a trombar com o Brasil, a revista britânica Economist avisou ontem que Inglaterra voltou à 6ª. maior economia do mundo. É versão british da piada do Juquinha: “mostra o seu pibinho que mostro o meu.”

• Contra o descaso – A deputada distrital Liliane Roriz (PSD) vai entrar com representação no Ministério Público contra o Governo do DF por “crime contra a vida”, por não controlar as escalas de plantão dos médicos da rede pública.

• Herança maldita – Além de primeira-amiga, Rosemary Noronha herdou a fama de pé-frio do ex-chefe: meses após participar de homenagem ao diretor do Departamento Nacional de Produção Mineral – SP, Enzo Nico Jr., o homem foi demitido, acusado de várias irregularidades e assédio moral.

• Pensando bem… – …a presidência na Venezuela é “um estado de espírito”.

O PODER SEM PUDOR
Chá e sono pós golpe

Dois dias depois do golpe militar de 1964, ainda vivendo incertezas, o presidente interino Ranieri Mazzili sumiu do Palácio da Alvorada. Saiu com um assessor de sua confiança. Soube-se depois que ele foi para um pequeno apartamento na Asa Norte de Brasília, onde morava Hamilton, seu barbeiro na Câmara dos Deputados. Foi entrando e perguntando:
— Meu chazinho está pronto?
Tomou o chá e dormiu, sentindo-se em segurança.

• COM TERESA BARROS E TIAGO DE VASCONCELOS

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter