28 C°

sábado, 19 de agosto de 2017.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Quo vadis, PSDB?

Fernando Maia

Política

segunda-feira, 19 de junho 2017

Imprimir texto A- A+

A indagação latina, não constante dos evangelhos “quo vadis?” (aonde vais?) teria sido feita por Jesus ao apóstolo Pedro, quando esse tentava escapar à perseguição do imperador Nero. Desde lá, tem sido a pergunta mais formulada a pessoa ou entidade sem rumo definido. Um exemplo, no mundo político nacional, e com destaque entre os partidos, é o que ocorre no seio do PSDB. A ex-mais poderosa sigla da República depois de vitórias retumbantes sobre o petismo, e derrotas idem, para a mesma tendência acha-se, hoje, diante da mais cruel das encruzilhadas da sua existência. Se, por um lado, ainda representa um fio de esperança para a sobrevivência do governo do presidente Michel Temer, esse partido está, por isso mesmo, arriscando perigosamente os seus projetos de retornar ao poder. Nunca ser fiel da balança na nossa política foi tão arriscado para o furo de uma agremiação partidária. A despeito de ter sido também atingido por delações comprometedoras que sepultaram a carreira do senador Aécio Neves, uma de suas maiores estrelas, o tucanato consegue mais do que sobreviver, ficar em uma situação infinitamente melhor do que os dois outros grandes, PMDB e PT, ambos minados pela corrupção e com suas estruturas partidárias e humanas corroídas pelo descrédito. Agora, vale indagar para onde, que rumo deve o PSDB seguir se permanecer ao lado de Michel Temer, como alega parte do partido para salvar as reformas e a governabilidade, ou desembarcar, se possível, já nesta semana dessa nau desgovernada, e tratar de reajustar as suas engrenagens para lutar com chances pela presidência da República e governos estaduais, já que dispõe ainda de grandes nomes para esse fim. Como dizem os “cabeças negras”, (ala jovem tucana) e fazendo coro ao ex-presidente FHC, é preferível “descer do muro”, sem correr o risco de morrer afogado, abraçado a um governo que periclita com suas resistências semi-destruídas.

Desfalque Alegando não contar mais com o PR nacional “para nada” o deputado federal Cabo Sabino, um dos melhores da bancada do Ceará apenas aguarda a janela das transferências partidárias, em 2018, para trocar esse partido pelo Podemos. Um sério desfalque, principalmente para o PR-CE.

Crescendo Se não estivesse já certo para ingressar no Podemos, o deputado Cabo Sabino poderia se passar para o DEM, que, a seu ver, é um dos melhores partidos e um dos mais crescem no momento.

Maçada Só agora, depois de 11 anos de ter sido apresentada pelo senador Luiz Pontes (PSDB), a PEC que cria normas para os Planos de Saúde privados será analisada, amanhã, na Câmara dos Deputados.
É com ele Está com o desembargador Abelardo Benevides a decisão do processo de tramitação da PEC do TCM, que foi deixada de ser julgada pelos desembargadores Iracema do Vale e Assis Mendes.

Manjada Uma Comissão Especial do Senado Federal inicia hoje, nos estados de PE, PB, RN e CE para “conhecerem de perto” a realidade das obras da Transposição, que o “mundo inteiro” conhece de sobra…

“A política e o ridículo são caminhos mais fáceis para certas lideranças do que a morte para a guerra”.  Humberto de Campos (1886-1934), escritor, humorista e político do Rio de Janeiro.

outros destaques >>

Facebook

Twitter