quarta-feira, 17 de julho de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Racha seria alto risco

Fernando Maia

Colunista - Política

segunda-feira, 01 de julho 2019

Imprimir texto A- A+

A boa distância ainda, o pleito municipal de Fortaleza gera mais especulações que o esperado. E tudo em consequência do governador Camilo que insiste em permanecer no PT, sem dar coordenadas a ninguém, submetendo-se sistematicamente a uma terapêutica bem administrada para não entregar o ouro aos bandidos. Quem quiser jogar com as suas cartas que faça bom uso delas sem importuná-lo com ideias mirabolantes ou esquemas milagrosos. A maioria dos conselheiros quer entendê-lo de imediato sugerindo que deve deixar o PT se quiser ganhar as eleições. Essas pessoas estão pensando que o Governador é idiota para não preservar o seu casulo onde é protagonista, para ir para o PDT, onde seria sempre coadjuvante. Atualmente, poderá conduzir o processo sucessório distribuindo as cartas do jogo. Nem o senador Cid Gomes nem os seus aliados do PT pensam em romper, porque não é hora de se falar em definição. Todos continuam a reivindicar uma posição de responsabilidade do governo no planejamento do futuro imediato, com todos eles atrelados ao poder.

Perda irreparável
A Justiça do Ceará e do País acabam de sofrer uma perda irreparável, com o falecimento do professor e mestre em Direito Roberto Martins Rodrigues. Poderia ter sido o que desejasse no Ceará, mas, por humildade, renunciou à ordem da tradição política. Queridíssimo pelos amigos e nacionalmente respeitado pelo seu conhecimento jurídico, deixa uma lacuna impreenchível.

Tirando o sossego – PDT e PT devem lançar candidatos próprios, mas estarão unidos num segundo turno para a Prefeitura de Fortaleza. Um racha, agora, seria de alto risco, já que, dessa vez, os governistas terão como concorrentes a dupla Luizianne Lins e Capitão Wagner, que tem tirado o sossego de muita gente.

Parceria asiática – Disposto a ir longe com o seu projeto de atrair grandes empresas internacionais para investir em Maracanaú, o deputado Roberto Pessoa (PSDB) inicia uma série de contatos diretos com representantes de países investidores, recebendo políticos e empresários liderados pelo embaixador do Vietnã, Do Bah Koa.

Aliança valiosa – No Palácio da Abolição, o governador Camilo e o prefeito Roberto Cláudio assinaram, com a CEF, acordo que beneficia Estado e municípios com mobilidade urbana, saneamento básico, crédito e microcrédito.

Mais cobrança – Heitor Férrer diz que já cobrou, e vai continuar cobrando, resultados dos R$ 100 milhões aprovados, em 2017, pelo Poder Legislativo destinados a acabar as filas de cirurgias do SUS. Afirma que não duvida de nada, mas quer apenas ver os números.

Desmantelo – No Ceará, brigas no seio PSL, partido do presidente Bolsonaro, senadores, deputados federais e estaduais País afora, colocam a sigla à beira do desmantelo. O “saco de gatos” entre os deputados estaduais Delegado Cavalcante e André Fernandes versus deputado Federal Heitor Freire pode ser o começo do fim da sigla no Ceará.

Sem ideologia – Hamilton Mourão, vice-presidente da República, entra na discussão sobre o ensino de Moral e Cívica, implantado nos governos militares. “Não se trata de cunho ideológico, mas, sim, de orientar os jovens ao conhecimento e respeito à Constituição”.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter