quarta-feira, 19 de dezembro de 2018.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Responsabilidade de todos

Fernando Maia

Colunista - Política

sexta-feira, 12 de janeiro 2018

Imprimir texto A- A+

O deputado Raimundo Gomes de Matos (PSDB), ao abordar problemas relacionados com a saúde no Ceará, afirma que está faltando mais sintonia e responsabilidade entre as bancadas federal e estadual. Segundo ele destaca, enquanto a bancada federal vem conseguindo recursos para a construção de hospitais regionais, UPAs, e aquisição de equipamentos e ambulâncias, cabe aos deputados estaduais fecharem questão em torno da gestão, construção e manutenção das estruturas desses hospitais e o que é mais importante, em se tratando da manutenção, o funcionamento dessas unidades hospitalares. Temos de cobrar o tempo criando uma gestão em que se encontrem meios de não faltarem médicos. Não dá bem para explicar como um estado com várias escolas de Medicina, que formam centenas de médicos por ano o Estado ainda tenha que gastar pesadas quantias com o deslocamento de profissionais para os hospitais do Interior. Se não houver completo entrosamento, dificilmente a população deixará de estar exposta à falta de atendimento e de vagas nos hospitais, quando se sabe que tudo vai depender da maneira como se administra dificuldades e complexidades. No caso da Santa Casa, o provedor Luís Marques cria leitos, deslocando pessoas necessitadas de atendimentos menos complexos para as UPAs, que foram criadas para esse fim. Esperamos que, na reabertura dos legislativos, a sugestão do deputado seja debatida.

Ensinando Ouvir o jurista Djalma Pinto é sempre uma aula de sabedoria jurídica. Para o ex-procurador-geral do Estado, não existe termos de comparação entre as eventuais falhas dos agentes do Poder Judiciário e os crescentes absurdos e abusos cometidos pelos políticos, com ou sem mandatos eletivos. Esse surto de indignação não é só de Dr. Djalma Pinto. É de todo brasileiro que se preocupa com o social.

Empurrado
Meio complicada a vontade do deputado Capitão Wagner, a essa altura pré-candidato ao Palácio da Abolição, empurrado por Tasso Jereissati. Quer um palanque escancarado para quaisquer dos candidatos a presidente.
Esclarecendo
Para Wagner, numa eleição com vários candidatos disputando a presidência do País, um postulante ao Governo do Estado não tem direito de exigir dos eleitores votar no candidato da sua preferência.
E agora?
Como contentará o seu principal apoiador não se sabe. Mas todos sabem que a preocupação maior de TJ é construir um palanque respeitável para o candidato do PSDB.
Plano
Opina o deputado Fenando Hugo que se o Planalto não criar um programa de ajuda aos governos estaduais, para deter a criminalidade, veremos governadores metendo a mão em dinheiro da saúde para não perder a briga contra os marginais.
Saída
Já o deputado Odorico Monteiro (PSB), uma saída para esse problema será a criação urgente do Sistema Único de Segurança Pública, proposta para a qual já encaminhou projeto na Câmara.
Justificando
Odorico explica que, assim como foi possível a criação do Sistema Único de Saúde – SUS, o mesmo será perfeitamente viável para combater à criminalidade.
Desperdício
O presidente da Comissão de Transportes e Desenvolvimento Urbano da AL, deputado Heitor Férrer (PSB), critica o desprezo que a sociedade tem tido às comissões técnicas. E, agora, vai piorar, deputado. Ninguém acredita mais em seriedade vinda do parlamento.   “É triste ver um país com deputados mendigando cargos como os eleitores mendigam favores e dinheiro para poderem votar neles”. Iranildo Pereira, poeta e ex-deputado.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter