sábado, 17 de agosto de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Sobreviventes do caos

Fernando Maia

Colunista - Política

terça-feira, 21 de agosto 2018

Imprimir texto A- A+

 

Durante um dos últimos comícios da campanha presidencial da Argentina, em Buenos Ayres, o ex-prefeito portenho, Mauricio Macri, candidato à sucessão da presidente Cristina Kirchner, afirmava que “esse país não é hoje uma Sodoma de cuja destruição só escapou a família de Lot, o último homem justo da cidade; os peronistas não conseguiram destruir os argentinos de bem”. Em recente evento político, o ex-governador do Ceará e agora aspirante ao Senado Federal Cid Gomes expressou-se no mesmo tom, ao advertir contra a descrença do eleitorado em relação aos homens públicos. Para ele, é preciso haver uma convicção da sociedade de que nem todo político terá de ser, obrigatoriamente, ruim e corrupto. As posições desses dois homens públicos, territorialmente distantes, estão próximas e se encaixam na situação, não só da Argentina e Brasil. Homens e mulheres competentes existem em grande quantidade no nosso país e no nosso estado. A nós, parece infelizmente que, a razão para o ingresso de pessoas inidôneas em partidos políticos, é a falta de ética. Se os partidos fossem mais responsáveis e criteriosos, só cidadãos de bem poderiam figurar em seus quadros. Basta reconhecer isso, e fazer deles candidatos, independentemente do peso de suas contas bancárias.

Impugnação de candidatura. Pedida a impugnação da candidatura do general Guilherme Theophilo pelo advogado Adairton Carvalho, secretário geral do DEM alegando irregularidades na chapa do PSDB/Pros. A legislação determina o dia 5 de agosto para registro da chapa completa. E só depois dessa data é que indicaram os suplentes de senador e a candidata a vice. O PSDB nada teme. Juristas afirmam que a medida não tem fundamento legal. Reforço. O ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin, antecipou para a próxima semana a sua visita ao Ceará. Fará palestra na Fiec e participará de atos políticos para dar musculatura à candidatura do general.
Manicômio .
Em discurso de campanha, Cid Gomes revelou que dos 13 candidatos à presidência da República, pelo menos, cinco deveriam ir para o manicômio. A declaração faz parte da sua retórica de palanque para recomendar a candidatura do seu irmão Ciro, “um dos poucos candidatos a se salvar da loucura coletiva que contaminou os políticos do País”. Palavras dele memo.
Fiasco nas urnas . No PDT, ninguém se preocupa com o candidato do PSDB. O único militar da mesma patente a se candidatar ao Governo do Ceará, ainda na era Faustino Albuquerque, foi o general Onofre, revelando-se um grande fiasco nas urnas.
Esperança.Por ocasião do lançamento das candidaturas de Cid, Camilo e André Figueiredo, o Governador, de mão dada com Ciro Gomes, afirmou: “Você é a esperança”, e completou: “Nessa luta estamos juntos”.
Bateu o ciúme . Diante das declarações de Camilo Santana, a primeira reação veio de Moisés Braz, do PT, afirmando que o Governador tem de estar no lançamento de Lula, pois é seu compromisso apoiá-lo.
Oportuno.Na ótica do deputado Ely Aguiar, a retirada do Centro de Eventos do Ceará do pacote de concessões do Governo do Estado, impedirá que empresas modestas participem de eventos. .
Promiscuidade . Revoltado com alianças políticas juntando gregos e troianos, o presidente do PT de Fortaleza, Deodato Ramalho, acusa partidos de armarem “a maior promiscuidade política da História”.
Na Tailândia . Segundo a secretária de Assuntos Internacionais da PMF, Patrícia Macedo, o prefeito RC participará do Congresso da OMS, em Bangcoc–Tailândia, em dezembro. – Despesas por conta do contribuinte.
Obras paradas . A Reitoria da UFC quer a bancada federal do Ceará empenhada na liberação de R$ 56 milhões de emendas parlamentares, para tocar obras paradas por falta desses recursos.
Arroxo do TCE . O TRE não está para brincadeiras em relação à prestação de contas dos partidos, razão de futuras complicações. Qualquer atecnia será duramente punida.

“É melhor ser chamado de candidato da Lava Jato do que ser candidato investigado e preso por crimes pela Lava Jato”. Senador Álvaro Dias, candidato do Podemos a presidente.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter