32 C°

segunda-feira, 20 de janeiro de 2020.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

Esportes

É Interior! Guarasol e Barbalha se destacam no Cearensão

terça-feira, 14 de janeiro 2020

Na temporada passada, um certo clube do interior iniciou muito bem a disputa do Campeonato Cearense, despertando atenção dos amantes do futebol local e assombrando os outros participantes. Eis que o Barbalha fez a melhor campanha da Primeira Fase, deixando uma ótima impressão. Na atual temporada, a Raposa do Cariri inicia novamente de maneira avassaladora o certame. Com três vitórias em três rodadas, a equipe tricolor lidera o Cearensão com nove pontos.


Para Lúcio Barão, presidente da Raposa, o diferencial está na organização para a temporada. “Nós, aqui no Barbalha, iniciamos os trabalhos com muita antecedência, para 2020 começamos a contatar jogadores seis meses antes, para evitar os famosos leilões de fim de ano. O trabalho aqui é muito sério e o diferencial está no planejamento. Tudo aqui é pensado antes, organizado. Esse é o segredo. Trabalhar com paciência, planejando tudo direitinho. Não é à toa que estamos fazendo ótimas campanhas”, decreta o mandatário.


Em pé de igualdade com o Barbalha está o Guarany de Sobral, que é superado pelo Tricolor apenas no quesito gols marcados. O Cacique do Vale se preparou e se reforçou com velhos conhecidos – aliando experiência à juventude de outros atletas – para fazer bonito no Estadual. Comandado por Washington Luiz, o clube sobralense luta para voltar a disputar alguma divisão nacional, onde esteve pela última vez em 2017 (Série D do Campeonato Brasileiro).


Curiosamente, a dupla representa exatamente o interior do Estado, já que os demais clubes pertencem a Fortaleza e região metropolitana. Vale ressaltar que Ceará e Fortaleza só participarão do Cearensão a partir da próxima fase. Mesmo assim, Barbalha e Guarasol vêm fazendo um excelente trabalho até aqui, ambos com jogadores em especial se destacando. Entretanto, a tônica entre os clubes é diferente: um aposta no desconhecido e o outro segue o caminho inverso.

Conhece?
Na Raposa, o atacante Carlos Caaporã, que desembarcou no clube para a atual temporada, já balançou as redes três vezes e surge como peça fundamental para o esquema do técnico Paulo Schardong. Aliás, tanto o goleador quanto o treinador são nomes desconhecidos do futebol local. Caaporã já passou por grandes clubes do cenário nordestino como Bahia, América-RN, Treze, Confiança e Campinense. Aos 24 anos, o atleta busca ganhar notoriedade também nos campos cearenses. Já Schardong é bastante rodado por Sudeste e Norte, e fez ótima campanha com o Ji-Paraná em 2019, sendo contratado com muita antecedência, superando nomes como Flávio Araújo, Oliveira Canindé e Mastrillo Veiga.

Conhece!
Já pelos lados do Bugre, as “novidades” não são tão novas assim. No comando da equipe rubro-negra está Washington Luiz, personagem conhecido do futebol cearense, com boa passagem pelo Ferroviário, e que tem feitos bons trabalhos em equipes de menor expressão. No comando do ataque bugrino estão outros nomes bastante rodados por estas bandas. Siloé e Ciel até agora são os diferenciais do Cacique. Ciel, inclusive, divide a artilharia do certame com Caaporã, com três gols cada.


Com excelentes campanhas – quase idênticas – na competição, as duas forças interioranas se encontrarão amanhã, pela quarta rodada do Estadual. Raposa e Cacique duelam pela liderança isolada na casa da Raposa (Estádio Lírio Callou, o popular Inaldão), às 16 horas.

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com