32 C°

quinta-feira, 28 de maio de 2020.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

Fortaleza 294

O fortalecimento do vínculo afetivo através do brincar

segunda-feira, 13 de abril 2020

Por Anatália Batista

Lunna Sophia tem quatro meses. Ela já atende aos sons e acompanha com o olhar. Se diverte com o barulho dos brinquedos, quer pegar e se encanta com as cores. A pequena Lunna é acompanhada pelo programa Cresça com Seu Filho, uma das políticas públicas para a primeira infância da Prefeitura de Fortaleza, que tem como foco trabalhar o desenvolvimento das crianças de zero a três anos em áreas de risco de vulnerabilidade social e econômica na capital cearense. 


Uma vez por semana, Lunna é acompanhada pela agente comunitária de saúde (ACS), Hélia Maria Felipe, que vai até sua casa, no conjunto Novo Mondubim. É no colo da mãe, Maria Thays Guimarães, 23, que Lunna inicia as atividades da semana. Elas sentam-se ao chão, a agente de saúde pergunta como estão, repassa a atividade da visita anterior junto com a mãe da criança e introduz uma nova brincadeira. O objetivo é estimular o cognitivo da criança através do brincar, melhorando seu desenvolvimento e fortalecendo o vínculo afetivo com os pais. 


Para a idade de Lunna, de quatro meses, são inseridas brincadeiras que trabalham o movimento dos seus braços e das suas mãos ao segurar brinquedos como o chocalho, que desperta também atenção ao som. Além disso, estimula a bebê a sentar, trabalhando a musculatura. Cada atividade desenvolvida pelo programa Cresça com Seu Filho obedece a faixa etária da criança, como explica a assessora técnica da saúde da criança da Secretaria Executiva Regional V, Ana Celina Nojosa. “Todo o roteiro de visitas é fundamentado em uma estrutura em que o agente de saúde ao visitar uma criança de dois meses, ele vai executar abordagem para o desenvolvimento naquela faixa etária, enquanto em outra família que ele for visitar uma criança de dois anos e cinco meses, por exemplo, vai fazer uma abordagem para desenvolvimento daquela faixa etária”.


Durante a visita da agente de saúde à Lunna, a mãe Maria Thays mostra-se bastante entusiasmada com a evolução dos resultados de sua filha. “Estou gostando muito desse acompanhamento que a Lunna está recebendo. Estou aprendendo junto com ela a desenvolver o pensamento dela, o cognitivo dela, e já percebo a diferença. Ela está mais atenta e acompanha com o olhar quando a gente fala”, descreve a operadora de loja. Maria Thays conta que todos os dias separa um tempo exclusivo para repetir as atividades com Lunna e percebe o quanto isso faz diferença. Quando Maria não pode acompanhar a visita da agente de saúde, o pai ou a avó da criança participam.


Para a agente de saúde, Hélia Maria, que atende o bairro há 25 anos, “o programa é ótimo”. “Estou no Cresça com Seu Filho desde 2015, de lá para cá, várias crianças já passaram por mim e outras continuam ainda. O bom é que a gente vê as crianças se desenvolvendo, muitas delas já passaram por mim e hoje estão nas creches, outros em escolas, e é muito gratificante fazer parte disso. Sempre sorrindo durante a visita, Hélia diz que para seu trabalho a alegria é fundamental.  “Quando a gente abraça o programa, tem que ter essa disponibilidade, essa alegria, porque você tem que levar seu estar bem para a família estar bem. É como se fosse uma troca”, finaliza. 

Como funcionam
as visitas 
Renata Vivian Ramalho é supervisora do programa Cresça com Seu Filho na Regional V, uma das primeiras regiões a receber a iniciativa. Segundo ela, no total, 1.573 crianças já receberam visitas dos agentes de saúde inseridos no programa. O dado mais recente aponta que foram realizadas visitas a 285 crianças em janeiro. “A gente trabalha aqui, na Regional V, desde 2014, o foco é trabalhar o desenvolvimento da criança nas áreas motoras, socioafetivas e linguagens. Além de mostrar para as mães a importância de brincar e trabalhar com essas crianças, de conversar com elas, e realmente esses acompanhamentos dos agentes de saúde trazem muitos benefícios e melhoram muito o desenvolvimento da criança”, destaca. 
Ela avalia que as visitas dão bons resultados. Conforme explica, as atividades são planejadas por uma equipe de saúde, junto com enfermeiros e supervisores intersetoriais do programa. “Fazemos um planejamento dessas visitas com o agente de saúde para semanalmente irem na casa das famílias, orientar as atividades para as mães realizarem com a criança durante a semana. O agente de saúde mostra a atividade para a mãe, explica o objetivo de cada uma e a mãe desenvolve essas atividades tanto no dia da vista, como o agente de saúde pede que na semana a mãe repita as atividades, tirem um tempo para brincar e conversar com a criança, porque através desse brincar, as crianças se desenvolvem melhor, criam um vínculo afetivo, que é um dos objetivos fortalecer esse vínculo entre o cuidador e a criança”. 


De acordo com a assessora técnica Ana Celina Nojosa, existe uma boa procura de  famílias para inserirem novas crianças no programa, contudo ela explica que são atendidas somente mediante os critérios de idade de zero a três anos, residir em área de vulnerabilidade social, ser baixa renda e beneficiário do programa Bolsa Família. “O agente de saúde é nosso maior comunicador, é ele quem identifica essa família, essa criança que está dentro do critério do programa para ser acompanhado. Dentro das visitas periódicas ele faz esse levantamento”, explica.
Ana Celina observa que as mães fazem questão de participar do programa e concluir até a criança completar os três anos. “A gente tem a garantia que essa criança está sendo estimulada e crescendo de uma forma diferente pela família, que ela vai estar preparada para fase estudantil”, afirma. Ainda de acordo com a assessora técnica, as crianças que recebem essa estimulação precoce na primeira infância, são crianças com desenvolvimento mais acelerado e o aprendizado na escola torna-se mais fácil. “O que a gente tem ouvido nas falas das mães é de permanecer, porque elas veem a diferença na criança semanalmente com o acompanhamento do agente de saúde”.

O programa
O programa Cresça com Seu Filho foi implantado pela primeira-dama de Fortaleza, Carol Bezerra, em 2013, e iniciou em 2014. Fruto de um trabalho árduo e complexo, conforme descreve Carol Bezerra, mas que nasceu da vontade de transformar a realidade de famílias em situações de vulnerabilidade social e mudar a vida de crianças ainda na primeira infância. O cresça com Seu Filho atende crianças de zero a três anos, inseridas em bairros da periferia, em áreas marcadas pela pobreza e violência. O maior objetivo é fortalecer o vínculo e o desenvolvimento dessas crianças por meio de atividades conduzidas pelo Agente Comunitário de Saúde (ACS) junto à mãe, pai ou cuidador durante a visita domiciliar. O Cresça com Seu Filho começou a ser desenvolvido nas Regionais V e VI. Hoje, atende a 35 bairros, atendendo também a Regional I. 

Ampliação 
O programa já registrou 106.301 visitas domiciliares, com 8.424 crianças cadastradas e a capacitação de 797 agentes comunitários e 223 enfermeiros. Atualmente, o programa atende 2.500 crianças. De acordo com Carol Bezerra, a meta é acompanhar sete mil até o final deste ano. Outra meta, é universalizar os agentes comunitários de saúde – para que todos sejam capacitados para o atendimento ao programa – e ampliar atendimento para todas as Regionais. “Nosso objetivo é que as crianças sejam muito desenvolvidas dentro da situação de pobreza e violência que se encontram”, afirma a primeira-dama. 


Carol Bezerra defende que os vínculos precisam ser fortalecidos. “Muitas vezes o pai não brinca porque não acha certo, que a criança não entende, mas os três primeiros anos é quando o cérebro mais se desenvolve, quando se conversa com o recém nascido ele aumenta o sinapse, e colocamos isso de maneira que a família entenda, propondo atividades diárias”, explica. Para a primeira-dama, as visitas dos agentes são ainda educadoras. Ela chama atenção para o fato de que algumas mães não sabem como brincar com os filhos e quando isso é esclarecido, elas mudam de atitudes, compartilhando mais amor e atenção. “Nosso intuito é dar importância a primeira infância, que é a fase principal onde a criança já se tornou, e isso vai refletir no futuro, ela terá mais autoestima para vencer a situação de vulnerabilidade porque foi amado e alguém acredita neles”, concluiu Carol Bezerra.

Parcerias
O programa Cresça com Seu Filho tem parcerias com instituições de ensino e pesquisa, como a UFC/Iprede, Universidade de São Paulo (USP), com organizações governamentais e não governamentais, como o Ministério da Saúde e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com