32 C°

quarta-feira, 11 de dezembro de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

Geral

Hidroponia: técnica de empresa nacional reduz 70% dos custos

quinta-feira, 19 de setembro 2019

Transformar os pontos negativos de duas técnicas em pontos positivos tanto no sentido sustentável como no contexto econômico é uma das características da aquaponia. Com o uso racional da água e a erradicação do uso de agrotóxicos, a aquaponia nada mais é do que a criação de peixes associada ao cultivo de hortaliças por meio do sistema de recirculação de água. No Brasil, A AQP Brasil é uma empresa pioneira a investir no mercado de aquaponia.

Reprodução

Para Fagner Tafarel, engenheiro ambiental e sócio-fundador da AQP Brasil, a vantagem é que a técnica é uma integração da piscicultura (cultivo de peixes) e da hidroponia (produção de vegetais na água) em um sistema de recirculação da água. “Ela é captada da chuva e estocada. Conforme a necessidade, ela vai então para dentro do sistema, passa pelo tanque de peixes, depois passa pelo complexo de filtragem que é composto pelo sistema de decantação, de filtragem biológica e de mineralização, só depois desse tratamento que a água chega para a irrigação das plantas”, relata.

“Após esse processo, a água é recolhida e devolvida ao tanque de peixes. A única perda de água que existe é devido ao consumo das plantas e pela evaporação da água, que isso depende de cada região, já que algumas são mais quentes, como é o caso do Ceará onde a evaporação é maior. Vale destacar também que ao longo do sistema se faz o uso da gravidade para realizar o transporte da água, é um diferencial, pois ele foi projetado para fazer o melhor uso da energia disponível, que é um fator chave na criação de um sistema de produção consciente e sustentável”, disse”, garante Tafarel.

Ainda falando sobre o alto grau de saudabilidade alimentar, o engenheiro ambiental explica que na aquaponia é terminantemente proibido utilizar agrotóxicos pois trata-se de um sistema vivo e em equilíbrio, qualquer desbalanço compremeterá todo o sistema e quanto mais jovem for a produção, mais tênue é a linha pela qual esta harmonia se sustenta. “A diferença com relação a hidroponia é que na aquaponia não se pode usar agrotóxicos, pois o uso prejudicaria os peixes e os microorganismos que compõem o sistema e a principal é que na Aquaponia não há a saturação da água, o que previne descartes desnecessários deste elemento, gerando uma economia de água bastante grande”.

“Para que ocorra o crescimento das plantas, a AQP utiliza uma nutrição que simula o que ocorre na natureza, na verdade, ela vem da produção de peixes. O que ocorre nessa técnica é que que a ração consumida pelos organismos aquáticos é transformada, por meio dos microorganismos presentes no filtro biológico, em adubo para as plantas que por sua vez, descontaminam a água antes de retornar para a criação de peixes. Desta forma a ração é utilizada em sua totalidade gerando economia para os produtores. Estamos também estudando com apoio da Universidade La Salle e Universidade Federal do Rio Grande do Sul adubos de fontes minerais. A aquaponia gera economia, já que o produtor reutiliza também a ração consumida pelos peixes”, disse.

A aquaponia trabalha com duas vertentes que são complementares, a economia no bolso do produtor e o desejo dos consumidores. Com relação ao produtor, a redução de custos começa na utilização racional da água e da ração, que são utilizadas por meio da integração das técnicas. “Os adubos naturais podem ser produzidos pelo próprio produtor. Já a água, coletada da chuva, é reutilizada diversas vezes. Quanto ao custo de produção, por exemplo: uma hortaliça hidropônica – que vem da técnica que utiliza os adubos químicos – tem custo de produção entre 70 a 80 centavos por unidade, mas se o empresário optar pela aquaponia, o custo de produção gira em torno de 20 ou 25 centavos por unidade, ou seja, temos uma economia de até 70% no custo de produção para o produtor. Essa redução está também relacionada com o gasto de energia, baixo consumo de água e a mão de obra compartilhada quando se utiliza a aquaponia”, explica o sócio-fundador da AQP Brasil.

Com relação a satisfazer o desejo do consumidor, a aquaponia está indo no caminho certo, segundo o engenheiro Tafarel. “As pessoas estão buscando cada vez mais qualidade de vida, e qualidade alimentar. Além disso, as pessoas estão voltando sua consciência para questões mais sustentáveis. A Aquaponia traz isso tudo, porque o seu consumidor está seguro de que vai consumir um produto realmente livre de qualquer tipo de agrotóxico e que vai consumir um produto advindo de um sistema com alto grau de sustentabilidade”, disse.
Inovação no sistema

A AQP Brasil é uma empresa que busca nas ciências e tecnologias soluções sustentáveis e aplicadas ao nosso “dia a dia”, como produtores e consumidores. A empresa, que tem seu foco na produção sustentável, oferece serviços e tecnologias aos segmentos da produção rural, mineração e estudos ambientais. Um desses serviços é o filtro biológico projetado e desenvolvido pela AQP Brasil. “É um sistema adaptado a diversidade do clima brasileiro. A Aquaponia vem despertando o interesse de muitos produtores, e alguns já tem adquirido esse tipo de negócio, com potencial de crescimento no nosso país. A AQP Brasil oferece cursos de operação do método AQP-PRO, que consiste em um módulo de produção comercial. No curso produtores e técnicos conhecem a operação desse sistema, e assim, podem vislumbrar a potencialidade da técnica e o grande mercado a ser alcançado pela aquaponia”, disse Tafarel.

O sócio-fundador da AQP Brasil ainda explica que tem novidades para os empresários do segmento que moram no Ceará. “Estamos iniciando um grande projeto no Estado que promete revolucionar o dia a dia desses produtores. O que podemos adiantar é que é um projeto urbano de aquaponia desenvolvido para a cidade de Fortaleza, em breve divulgaremos mais detalhes”.

hoje

Mais lidas