32 C°

sexta-feira, 3 de julho de 2020.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

aniversario

Mundo

Rússia: campanha homofóbica causa grande polêmica

quinta-feira, 04 de junho 2020

Um vídeo de caráter homofóbico, pedindo voto para a mudança que entroniza na Constituição a definição de casamento como algo entre homem e mulher, está provocando críticas na Rússia. A peça foi divulgada em redes sociais pelo grupo Patriota, uma ONG que tem Ievguêni Prigojin como principal nome. O empresário é um aliado próximo do presidente Vladimir Putin.
No vídeo, um rapaz chega a um orfanato em 2035 para adotar um garoto, deixando as assistentes sociais enlevadas. Quando todos saem do prédio, o menino pergunta “Onde está a mamãe”. “Aqui está sua nova mãe, não fique chateado”, o pai responde. Aí, um outro homem, com roupas femininas, sai do carro e oferece um vestido para o garoto, deixando as assistentes em choque.
A alteração legal proposta por Putin no começo do ano, e aprovada pelo Parlamento, visa permitir ao presidente que volte a se candidatar ao cargo em 2024 e, se reeleito, em 2030, estendendo potencialmente seu reinado, iniciado há 20 anos, até 2036. Em 1º de julho, apesar de a Rússia ser o terceiro país com mais casos de Covid-19 do mundo, um referendo irá decidir sobre a adoção da medida. Mas o russo colocou outros itens, inclusive um artigo que define casamento como uma instituição heterossexual, além de estabelecer a Rússia como um país temente a Deus.
O casamento gay já é proibido na Rússia. Em 2018, um casal de homens conseguiu registro em Moscou a partir de uma brecha legal, validando sua certidão obtida na Dinamarca. Marchas de orgulho LGBT acontecem cada vez menos, já que desde 2012 são reprimidas em locais como a capital russa. Isso tudo faz parte da guerra cultural que Putin, hoje em seu quarto mandato, acirrou a partir de sua volta ao Kremlin após um período como premiê de 2008 a 2012.

Identidade
De lá para cá, a Rússia tornou-se muito mais assertiva no cenário internacional, como a anexação da Crimeia em 2014 mostra, e Putin buscar reforçar sua noção de identidade nacional. Valores da Igreja Ortodoxa viraram questão de Estado, com a proximidade da hierarquia eclesiástica do Kremlin. Um dos pontos atacados por ambos é a homossexualidade, cuja promoção é tratada por Putin como um sinal da decadência ocidental.

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com