32 C°

sábado, 8 de agosto de 2020.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

aniversario
aniversario

Nacional

Contas de bolsonaristas no Twitter são bloqueadas

sexta-feira, 31 de julho 2020

As contas no Twitter de influenciadores, empresários e políticos apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foram tiradas do ar internacionalmente nessa quinta-feira (30). Após decisão do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes, elas foram bloqueadas no Brasil na sexta-feira (24).

No entanto, pouco depois os bolsonaristas e seus seguidores mudaram as configurações de localização para outros países e continuaram a publicar mensagens sem bloqueios.
A ativista Sara Giromini, conhecida como Sara Winter, líder de um grupo armado de extrema direita, por exemplo, xingou o ministro do STF no mesmo dia nas redes sociais. Ela chamou Moraes de “cabeça de piroca” e “ditador de merda” em sua conta bloqueada para o Brasil. Nessa quinta (30), Giromini desabafou em nova conta: “Fui censurada no MUNDO! Ajudem a compartilhar essa mensagem: existem presos políticos e censurados no Brasil! Darei centenas de entrevistas na América Latina e Estados Unidos para denunciar tais abusos! DITADORES VÃO CAIR!”
Figuras como o ex-deputado Roberto Jefferson (PTB), o blogueiro Allan dos Santos e os empresários Luciano Hang (da Havan) e Edgard Corona (das academias Smart Fit), alvos de investigação no âmbito do inquérito das fake news, tiveram suas contas suspensas. O inquérito das fake news investiga ameaças e disseminação de notícias falsas contra integrantes do STF nas redes sociais e representa um dos principais pontos de tensão entre o Palácio do Planalto e a corte.


Apesar de ter bloqueado as contas, o Twitter classificou a ordem como desproprocional e anunciou que recorrerá da decisão. “O Twitter bloqueou as contas para atender a uma ordem judicial proveniente de inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF). Embora não caiba ao Twitter defender a legalidade do conteúdo postado ou a conduta das pessoas impactadas pela referida ordem, a empresa considera a determinação desproporcional sob a ótica do regime de liberdade de expressão vigente no Brasil e, por isso, irá recorrer da decisão de bloqueio”, escreveu a empresa em nota de sua assessoria de imprensa enviada à Folha de S.Paulo.


Barroso
O ministro Luís Roberto Barroso (STF) afirmou que o Poder Judiciário não pode assumir o protagonismo no combate às notícias falsas. Segundo ele, havia uma “ilusão” de que o Judiciário assumisse essa posição. “Havia uma certa fantasia de que o TSE ou o Judiciário iria ser o protagonista do enfrentamento às fake news. É uma ilusão. O Judiciário não tem condição de ser protagonista no enfrentamento das fake news por muitas razões. A primeira e mais óbvia é que a própria qualificação do que sejam as fake news já é muito difícil.” Em debate sobre democracia e polarização promovido pelo jornal O Globo, Barroso, que também preside o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), afirmou que as próprias plataformas devem assumir o protagonismo no combate à disseminação de conteúdos falsos e enganosos.

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com