32 C°

quinta-feira, 28 de maio de 2020.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

Nacional

Covid-19: avanço para o interior do País é inevitável

sexta-feira, 22 de maio 2020

O ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, disse nessa quinta-feira (21) que a pasta tem verificado uma redução de casos em algumas capitais do Norte e Nordeste e que o avanço da epidemia ao interior “é inevitável”. “Nosso país que é continental está impactado de forma diferente de Norte a Sul. Temos uma linha imaginária passando pelo Mato Grosso até a Bahia, onde o impacto maior está na região Norte e Nordeste, já impactados, já preparados, e cada um com a curva no seu nível”, disse.


Segundo Pazuello, a pasta já verifica uma “redução significativa” de casos e da necessidade de leitos em algumas capitais dessas regiões. Ele não citou quais seriam essas cidades. Em Manaus, cidade que vive colapso na saúde, especialistas dizem que ainda é cedo para uma análise e apontam risco de novo avanço caso sejam afrouxadas medidas de isolamento.


“Uma terceira etapa é uma progressão para o interior desses estados. É inevitável”, disse Pazuello. “Essa progressão vai acontecer, e temos que estar preparados, aumentando ainda a capacidade [de atendimento] das capitais e cidades maiores, porque também serão o destino dessas pessoas que vão buscar o tratamento”, afirmou.
Ele defendeu investimentos em capacidade de transporte para envio de pacientes a cidades maiores e aumento de leitos em hospitais do interior, sem, contudo, citar medidas específicas. Para Pazuello, a regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste ainda devem ter maior aumento de casos do novo coronavírus.


“Ao Sudeste, Sul, Centro-oeste, é a hora de se preparar. É hora de acumular meios, estruturar UTI, habilitar leitos, adquirir insumos e equipamentos e se preparar para o combate, com a vantagem de estarmos observando o que está acontecendo e como foi o impacto no Norte e Nordeste”, afirmou. “Rezamos para que o impacto seja menor, mas virá um grau de impacto, ou poderá vir.” Dados do ministério, porém, apontam alguns estados destas regiões entre aqueles com maior número de casos e incidência do coronavírus, situação de São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo, por exemplo.


Reunião
As declarações ocorreram em reunião com secretários estaduais e municipais de saúde. O encontro marcou o primeiro discurso de Pazuello à frente da pasta desde a saída do ministro anterior, Nelson Teich. Em uma tentativa de obter apoio, Pazuello disse que gestores precisam ser “apartidários, não ideológicos, pragmáticos e objetivos” e defendeu união com estados e municípios.


“Nesse momento nossa missão é mitigar os efeitos da pandemia e salvar vidas, e todos os dias estamos acompanhando essas perdas”, afirmou. Sem experiência na saúde, Pazuello disse que o SUS o “surpreende positivamente a cada dia” e que o sistema “continua forte em todas as direções, não apenas a Covid”.


Diz ainda que o trabalho no ministério “não parou e não vai parar” e que medidas devem considerar cenários regionais. Representantes de secretários de saúde se queixaram da dificuldade de diálogo com o ministério desde a saída do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta.

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com