32 C°

quarta-feira, 11 de dezembro de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

Opinião

Poder com Lula Livre!

terça-feira, 20 de agosto 2019

O presidente Jair Bolsonaro não deve nem pode decepcionar os cinquenta e oito milhões de brasileiros que depositaram nas urnas eleitorais todas as suas esperanças, acreditando no candidato que prometia ser diferente se eleito presidente da República. Agora, eleito deve respeitar compromisso e mostrar que não compactua com a corrupção dos engravatados que circulam nos corredores dos poderes constituídos desta República. 

Portanto, deve vetar esse imoral e antipatriótico projeto de lei que trata do abuso de autoridade. Propositura aprovada pelo Congresso Nacional com apoio dos “inusitados” sujos. Até parte do PSL do senhor Jair Bolsonaro se juntou ao bloco dos indivíduos sem dignidade e sem brio. Unidos querem amordaçar investigadores, procuradores e juízes. Agora, essa esdrúxula proposta está com presidente Bolsonaro. Se sancioná-la determina também o fim da Operação Lava Jato e o retorno da corrupção. Dependendo ainda da sua decisão, o futuro de Sérgio Moro no governo e quem sabe, até o seu fim político de presidente que prometia ser diferente. 

O candidato Bolsonaro não somente sabia como fazia questão de divulgar aos quatro cantos deste País que era caluniado e perseguido por uma oposição coletiva em busca do enriquecimento ilícito através dos desvios de recursos públicos. Situação desnudada pela patriótica Operação Lava Jato. Depois das prisões de vários integrantes dessa “organização criminosa”, responsável pelo sucateamento do País. Realidade agora comprovada com a afirmação de Bolsonaro, dizendo que o País está quebrado, e, sem poder de investimento os brasileiros estão sofrem as consequências com a falta de saúde e dos serviços em todos os setores essenciais à vida. 

Melhor do que falar sobre o futuro da Argentina, o presidente Bolsonaro deveria explicitar o porquê das necessidades de contingenciar recursos da educação, do saneamento básico, enfim, de todos os setores, inclusive, das Forças Armadas, com redução de 25% no recrutamento de jovens para o serviço militar obrigatório; falta de alimentação nos ranchos dos quartéis; e, redução de meio expediente funcional das instituições militares. “Isso é o fim do mundo, como dizia o saudoso general Francisco Batista Torres de Melo. 

Mais do que ninguém, o então deputado Jair Bolsonaro conhecia e conhece as engrenagens da corrupção na Praça dos Três Poderes, em Brasília. Portanto, se é verdade que o Brasil está quebrado, como já disse Bolsonaro, também não deve aceitar a antipatriótica proposta de controle do abuso de autoridade. Abuso de autoridade é o retorno dos corruptos ao controle do governo e das instituições públicas. Os corruptos estão infiltrados em todos os poderes e com seus aliados engravatados querem somente poder com Lula Livre.

hoje

Mais lidas