32 C°

sexta-feira, 5 de março de 2021.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

aniversario
aniversario

Política

Projeto incentiva educação política na capital cearense

terça-feira, 23 de fevereiro 2021

Encerra hoje o prazo para a campanha de financiamento coletivo da organização Politize!, iniciativa da sociedade civil que uniu 180 jovens de Fortaleza e outros 62 municípios com o objetivo de democratizar o acesso ao conhecimento político. O projeto está se instalando, atualmente, na capital cearense para desenvolver ações para envolver a população local nos processos políticos e articular propostas de políticas públicas junto aos poderes Executivo e Legislativo.


Dandara Santos, embaixadora do projeto em Fortaleza, conta que já existe um núcleo atuando em outros municípios cearenses, como em Beberibe, e que na Capital está se formando uma estrutura para começar a ter essa atuação a nível municipal. “Como é uma Embaixada nova, primeiro estamos tentando capitalizar pessoas, chegar em pessoas”, explica, indicando que a partir disso o grupo atuará junto a parlamentares e ao Poder Executivo. É em meio a isso que se insere o financiamento coletivo do grupo, que se destina a todos os núcleos, em diversos estados, devendo contemplar também Fortaleza.


Os cursos realizados têm como foco a formação de jovens para a vida política – contemplando, aí, não só a política institucional e partidária, como também de modo global, abarcando aspectos da vida cotidiana das pessoas. O público, segundo ela, tem média de idade de 18 a 30 anos. “Os jovens são o futuro e, em alguns casos, o presente. Se a gente começar a se educar na política, isso tem impacto imediato, nas próximas eleições, mas também vai ter impacto no futuro, e muitas mudanças que se faz agora vão impactar o futuro positivamente ou negativamente. Entender política acredito que seja um dos principais meios para conseguir mudar o cenário atual, a gente se interessar em fiscalizar, estar presente na política”, conta Dandara. Ela elabora que isso tende a provocar uma diminuição da corrupção na vida pública, uma vez que os governantes se sentem observados mais de perto.


Essas mudanças podem inclusive, continua, ter resultados diretos sobre a realidade local de cada morador, à medida que a população passa a entender que cada indivíduo pode influenciar na política ao exercer pressão sobre as pessoas que o representam nas esferas de poder. “Posso sugerir uma lei, uma medida? Aqui no bairro tem um buraco, posso pedir pra alguém tapar? Pedir iluminação pública? Tudo isso que as pessoas podem e como podem fazer”, diz.


Embaixadas
As Embaixadas Politize! são núcleos do programa Embaixadores Politize!, que tem como base quatro competências: Conhecimento Político, Diálogo Plural, Empatia Cidadã e Protagonismo Comunitário. “Quando falamos em desenvolver lideranças não estamos nos restringindo àquelas pessoas que pretendem seguir carreira política, eleitoral, mas a todas que desejam ter uma atuação pública, seja ela qual for, para fazer de suas comunidades, e, por que não, do Brasil um lugar mais justo e democrático”, explica Vinicius Zunino, coordenador do Programa Embaixadores Politize!


Em 2020, as Embaixadas estiveram presentes em 25 municípios brasileiros de 16 estados. Foram formadas 375 lideranças cidadãs, que criaram 32 propostas de políticas públicas para os principais problemas de suas comunidades e levaram atividades de educação política a quase 20 mil pessoas. Com o financiamento coletivo, a meta é expandir o projeto a cidades onde vivem mais de 53 milhões de brasileiros e formar mais de 700 lideranças.


Financiamento
A campanha conta com três metas. A primeira, de R$ 48 mil, garante que 60 Embaixadas Politize! realizem a formação de jovens que possam contribuir na solução dos problemas públicos de suas cidades. A segunda, de R$ 100 mil, possibilita a manutenção das Embaixadas por mais um ano – com auxílio financeiro para capacitações e treinamentos presenciais exclusivos. Já a terceira, de R$ 150 mil, complementa as anteriores ao tornar a formação mais inclusiva, provendo auxílios transporte e internet a 150 participantes de baixa renda. Até a última sexta-feira (19), o projeto havia atingido pouco mais de R$ 24 mil com o financiamento.


Dandara Santos explica que as doações podem ser feitas o ano inteiro, “mas a gente está com a campanha para pedir dinheiro para arrecadar valor para as Embaixadas poderem funcionar, desenvolver cursos”. Ela conta que houve redução de custos com a pandemia, pelas atividades passarem a ser feitas remotamente, mas ainda há custos com que arcar.

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com