32 C°

sábado, 7 de dezembro de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

Colunista - Fernando Maia

As vicissitudes de Camilo

segunda-feira, 29 de julho 2019

Quando se delineou a reeleição do governador Camilo Santana, com acachapante vitória sobre o seu competidor mais próximo, general Guilherme Theophilo, com 3.457.556 votos contra apenas 488.438, ou seja, com uma diferença de quase 2,5 milhões, ficava a impressão de que com o mais retumbante triunfo em todo o País, o seu governo iria navegar em mar de almirante. Mas, não seria bem assim. Só agora, a imprensa começa a identificar problemas relacionados com o gigantismo da coligação vitoriosa. A explicação é mais que clara. Os dirigentes e líderes dos 24 partidos que aderiram ao grupo liderado pelos irmãos Ferreira Gomes têm pela frente mais uma eleição municipal, na qual pretendem manter o status quo para as prefeituras e câmaras municipais. Como ninguém ignora, o cobertor, que é curto em nível federal é também no estado que não pode ajudar aliados com dinheiro, nem tampouco dispor de cargos suficientes para agradar a tanta gente. Como diz a expressão árabe “maktub”, estava escrito.

É da confiança. Finalmente, pelo se comenta no âmbito do PT, o governador Camilo Santana, dessa vez, terá de sair da neutralidade na disputa pela presidência do partido em Fortaleza. Como não deverá unir a deputada Luizianne Lins e o vereador Guilherme Sampaio, os deputados Zé Airton e Acrísio Sena tentam o apoio dele à socióloga Liliane Araújo, que, segundo eles, tem ótimo relacionamento.

PSL troca de nome. De novo no PFL, nada em termo de programas e filosofia, mas o partido vai mudar de nome sem que se saiba ainda para qual ou de que deseja fugir. Costa que virá algo para identificar ideias de conservadorismo nos costumes e liberalismo na economia.
Mayra. Nenhuma novidade no Democratas antes de outubro. A médica Mayra Pinheiro vai ter de segurar mais alguns dias a rasteira que quis dar no empresário Chiquinho Feitosa. A última dela é que deseja candidatar-se à Prefeitura de Fortaleza, em 2020.
Menos, menos. Cresce, na Ibiapaba, o temor pelo descaso dos cearenses em relação às questões limítrofes com o Piauí. Todos devem seguir a recomendação da deputada Augusta Brito, para quem o Ceará poderá perder muitas cidades, se não se empenhar nessa disputa judicial.
Corrigindo. No reinício dos trabalhos legislativos, deverá ganhar prioridade projeto de lei do lide Júlio César, corrigindo a falta de critério que norteou a questão dos limites entre distritos e sedes municipais. Por conta, o Estado está repleto de distritos cujas áreas se misturam com territórios urbanos e rurais.
Sem efeito. O senador Luís Eduardo Girão chegou em Brasília e lá se instalou, diminuindo salário, mordomias e servidores do seu gabinete. Esse estratégia de cortar a própria carne só funciona para quem tem pouco. Para quem tem muito, como ele, é melhor arranjar outra forma de aparecer na mídia
Inovador. Quem acompanha o desempenho do desembargador Washington Araújo à frente do Tribunal de Justiça do Ceará, assiste a uma das gestões mais modernas e inovadoras dos comandantes daquela corte. Exemplo recente é a utilização de videoconferências, instrumento eficiente para melhorar a produtividade das comarcas.

“Uma sociedade nunca estará totalmente segura quando condenados por crimes de corrupção forem tidos como heróis pelos seus aliados”. Ministro Luiz Fux, do STF.

hoje

Mais lidas