32 C°

quarta-feira, 11 de dezembro de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

Colunista - Cláudio Humberto

Até juízes defendem fim da Justiça do Trabalho

quinta-feira, 19 de outubro 2017

Eu sou relator, não sou líder do Governo, não
Deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), contrário à denúncia da PGR contra Temer

Aextinção da Justiça do Trabalho, elaborada na Câmara, sob rigoroso sigilo, tem a aprovação de juízes e de ministros do Tribunal Superior do Trabalho (TST), diante do ativismo político e a sindicalização da magistratura. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), conhece a posição desses juízes. O projeto reage à articulação, na Justiça do Trabalho, para burlar a reforma trabalhista, que entra em vigor no dia 11 de novembro.

Relator, de novo
Se depender do presidente da Câmara, o relator do projeto que acaba a Justiça do Trabalho será o mesmo que relatou a reforma trabalhista.

Fã de carteirinha
O deputado Rodrigo Maia sempre elogiou o trabalho competente de Rogério Marinho (PSDB-RN) como relator da reforma trabalhista.

Cara demais
A Justiça do Trabalho custará R$ 22 bilhões em 2017, enquanto toda a Justiça Federal dos EUA não gastará mais do que R$ 21 bilhões.

Defesa no TST
O presidente do TST, ministro Ives Gandra Filho, já se manifestou em defesa da Justiça do Trabalho e discorda da sua extinção.

Valor exagerado
O ex-presidente garante que o imóvel não vale os R$ 37 milhões. “Acho que por metade disso, o pessoal aqui vende as três ilhas”, ironizou.

Parente problemático
Jos’’é Sarney diz que o sobrinho de dona Marly, Gustavo Macieira, “sempre foi problemático”. E “ele pensa que temos dinheiro para comprar a área”.

Herança de família
As ilhas Curupu, Mogijana e De Fora ou Corimã pertencem à família de dona Marly há várias gerações, desde a bisavó da ex-primeira-dama.

Bandido blindado
O governo da Itália confia que vai pôr as mãos no terrorista Cesare Battisti. O Supremo Tribunal Federal já autorizou sua extradição, em decisão ignorada por Lula, e, agora, o caso voltou à corte, após a concessão de habeas corpus que blindou o bandido outra vez.

Jogo é jogo, treino…
Escolha do relator, dois dias de discussão na CCJ, votação favorável a Temer… Tudo isso não é nada, não é nada, não é nada, mesmo: o que vai valer é a decisão do plenário da Câmara sobre a segunda denúncia.

Bom de pontaria
O resultado da votação na CCJ da Câmara, favorável ao presidente Michel Temer, confirmou a previsão do vice-líder do Governo, Darcísio Perondi (PMDB-RS), que previa entre 39 e 42 votos.

Aerolula é prejuízo
Ainda está fora de operação o Airbus 319, “AirForce 51”, comprado por Lula em 2005 por um valor de US$ 57 milhões (R$ 360 milhões em valores atuais). A Força Aérea, agora, aluga um outro avião para o Presidente.

Fundão, ninguém merece
O PSL (Social Liberal) foi o único partido que apelou ao Supremo Tribunal Federal contra a parte da reforma política que criou o “fundão eleitoral” de quase R$ 2 bilhões para financiar campanhas eleitorais.

Oportunismo eleitoral
O PDT se aboletou em mais de 300 cargos do Governo do DF por três anos, mas decidiu se afastar do desgaste que ajudou a produzir, porque a eleição vem aí. Na maioria cara de pau, ainda pretende o apoio do PSB de Rodrigo Rollemberg à candidatura de Ciro Gomes.

Barnabé custa caro
As despesas de pessoal do governo federal nos primeiros oito meses do ano foram de R$ 23,1 bilhões. Tudo isso em salários, pensões e aposentadorias de funcionários públicos.

Secou, só que não
A Cia de Abastecimento de Brasília (Caesb) promete ir à Justiça contra os autores de boato de que a capital passaria a racionar água por dois dias consecutivos a cada semana. Um reservatório já chegou a 11%.

Pensando bem…
…custa um Geddel a parte das ilhas colocada à venda por um sobrinho da dona Marly, onde a família Sarney tem casas. E ainda sobraria.

No governo José Sarney, o líder baiano Roberto Santos era ministro da Saúde e o filho do então ministro da Aeronáutica era titular da Secretaria de Vigilância Sanitária. Os dois brigaram por causa de caso de contaminação de sucos de frutas. Sobrou para o rapaz, sumariamente demitido. Mas, reza a lenda política que ele se vingou, promovendo atos de genuíno terrorismo à brasileira: piloto de ultraleve, fazia voos rasantes sobre a casa de Santos, na Península dos Ministros, em Brasília. Megafone em punho, berrava: – Vou jogar suco na sua piscina!

hoje

Mais lidas